sábado, 22 de setembro de 2018

A menina dança?

Disse uma menina.

E eu fui.


Cracóvia, à 01:10

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Alinhamento de astros

Uma pessoa vem para a Polónia a trabalho, dá por si à conversa com uma pessoa na Austrália (!), que a informa que a Polónia não só tem o mais antigo festival de kizomba fora de Portugal, como a maior comunidade de seguidores na Europa de Leste. Em 2 minutos, a pessoa descobre um festival de kizomba... a 15 minutos do seu hotel e que começa no dia seguinte dos seus deveres e obrigações laborais.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Aviso à navegação

Queira saber o querido leitor que Maria Calíope não faleceu nem sofreu qualquer tipo de paralisia ao nível dos membros superiores. Os últimos dias estão a ser um pavor em relação a gestão de tempo e os que vêm não serão possivelmente melhores. 

domingo, 16 de setembro de 2018

Mais vale tarde do que nunca

Estou desde o início do verão a querer andar de caiaque. Foi possivelmente ao cair do pano, mas que foi bonito foi!

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

f a n i a

Isto de sermos dois com agendas concorridas não ajuda muito quando se trata de acertar agulhas. Não me queixo, pois basta pensar nas minhas rotinas para deixar algum incauto ofegante. As rotinas do macho Alfa são iguais (ou piores) para fazer uma amiga minha exclamar "Mas ele é uma Maria Calíope em versão masculina!", o que arrancou uma gargalhada, vários aplausos e a minha admiração profunda pela capacidade de observação atenta. Com estas nossas andanças, já não íamos dançar há tempos sem fim, talvez um mês ou mais. Conseguimos suprimir a lacuna ontem em espaço público e que bom que foi. Se quando um não quer, dois não dançam; quando os dois querem, os dois divertem-se imenso! E foi mesmo uma animação andar por ali a rodopiar, ora acertando o passo, ora passando ao lado das supostas figuras. O Alfa tanto se surpreende pela positiva como desespera e adoptou o lema "Não penses, dança só!". E eu lá continuava a rodopiar alegremente. Até que às tantas ouvi:
- Nunca sei bem o que esperar de ti.
E Maria Calíope obviamente que tomou o desabafo como elogio.
- É melhor assim. Não vais saber. Eu não sou previsível!


(A imprevisibilidade foi tanta que deu direito a Tiramisu e vinho verde depois do bailarico)

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Fui dicionarizada...

... entre populismo e pornografia. Com estas balizas só posso esperar um best-seller, assim ao nível das Sombras de Grey (que nunca li) com direito a filme (que nunca vi).

As cenas que me fazem escrever...

Lembrar-se-á ainda o caríssimo leitor da saga do dicionário?
Diz que sai este ano.
Portanto talvez 2019, digo eu.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Novos inquilinos


Ter pés de Cinderela tem os seus benefícios, por exemplo, herdar sapatos que não servem a mais ninguém! Olhem só para estas Melissas giras, giras, desenhadas por alguém que deve ser super famoso lá na rua dele, que me vieram parar... aos pés?

Não sei bem se consigo correr a maratona com elas, mas para ir daqui para ali deve dar!


domingo, 9 de setembro de 2018

O que não fiz em Budapeste

Estive 5 dias em Budapeste e não vi o Danúbio, não vi a Ópera, não vi o Parlamento, não fui às termas, nem sequer a Peste, não comi gulache e não entrei numa única loja. Apesar disso tudo foi uma semana em cheio, estive a fazer um curso de formação de professores e foi tão bom, que tudo o resto vai continuar a lá estar numa próxima visita.

Em compensação, fomos ver a estação de metro (Deak Ter, salvo erro) com poemas portugueses!

sábado, 8 de setembro de 2018

Give chance a change

Este poderia ser o meu lema de vida "dar oportunidade às oportunidades". Nunca se sabe o que se vai encontrar ao dobrar da esquina, por isso todos os passos têm valor. No pior das hipóteses não acontece nada, mas há aquela margem mínima, onde tudo pode acontecer.
Fui convidada para uma festa de despedida de uns amigos e quase me esqueci dela. Entretanto tive de ir trabalhar e não estava a apetecer-me muito ir para um espaço de convívio, sendo que possivelmente não ia conhecer ninguém além dos organizadores. Fui. Confirmou-se. Não conhecia ninguém além dos organizadores que estavam ocupados com os mil convidados. Conversando com uns aqui e outros ali, conheci um tipo giríssimo advogado e um arquitecto português e a sua amiga/amante/caso/NS/NR italiana. Estive imenso tempo à conversa com eles, todos simpatiquíssimos e ela gira que se farta. A parte mais gira foi a páginas tantas perguntar ao arquitecto se não queria vir comigo visitar uma casa que eu tenho em vista, portanto imagine o querido leitor como estava animada a cavaqueira. A vida dá tantas oportunidades, é só saber aproveitá-las!

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Instruções

Num curso onde se preparam materiais didácticos para o ensino de português língua estrangeira, eu e a minha colega escrevemos as melhores instruções de sempre para um exercício:

Leia o texto e acorde para a vida.


Afinal, não ensinamos só português, damos lições de vida! :D