quinta-feira, 7 de junho de 2018

Napolitando

Será que o querido leitor ainda se lembra que Maria Calíope esteve em Nápoles há mais de um mês e mal falou da viagem? Fotos então ficaram em dívida... Mais vale tarde do que nunca e com as memórias possíveis, pois para uma candidata forte a Alzheimer a memória pode ser uma questão relativa e a passagem do tempo não melhora as coisas.  




Bom, Nápoles foi uma lufada de ar fresco, um boost de energia e muito revigorante. Tinha estado em Nápoles em 2003 em pleno interrail. Na altura tinham-me surpreendido o lixo nas ruas e a simplicidades das pizzas. Desta vez não foi muito diferente, mas tive direito a bastantes mais extras! Infelizmente por má gestão de tempo ou expectativas demasiado altas não consegui ir às ilhas adjacentes. Capri, Ischia e as outras vão ficar para outras núpcias... mas pelo menos fiquei com o contacto de guias turísticos, o que é sempre útil! 



Ir a Itália faz sempre bem ao corpo e à alma. Ver ruínas, viver la bella vita e conviver com italianos, comer pizzas e pastas deliciosas, apreciar aquele dolce fare niente activamente e tutti e tutti! Respira-se cultura e história e desta vez também deu para trocar dois dedos de conversa, experiências e muitas parvoíces com amigas minhas!Passar um fim-de-semana com pessoas é sempre giro e, para mim, diferente das minhas viagens recorrentes, mas acarreta outras logísticas e vontades alheias. 








Para além, das ruas típicas e lixo correspondente, estendais exibindo a roupa interior, o centro da cidade, as ruas sinuosas, o Vesúvio, Pompeia (merece um post separado que está quase a sair), deu para ver outra parte da cidade. A noite, os bares e a arte urbana! Além da comida saborosa, deu para conhecer e saborear a casta branca da zona - cujo nome obviamente não me recordo... mas começava com F -
Tiffosi estão em todo o lado, mas não esperava encontrar este fervor em Nápoles. Lá me explicaram que o Nápoles não ganhava o campeonato há anos (décadas... o que me disseram em rigor foi "o Nápoles é tipo Sporting ). Talvez em Portugal também haja disto, mas eu nunca tinha visto tal coisa: rolos de papel higiénico com os emblemas dos outros clubes... A Juventus então é odiada convictamente. Imaginem que eu percebi este fanatismo ao passear numa feira, portanto podem deduzir que tipo de mensagens andei a ler...



Infelizmente por má gestão de tempo ou expectativas demasiado altas não consegui ir às ilhas adjacentes. Capri, Ischia e as outras vão ficar para outras núpcias... mas pelo menos fiquei com o contacto de guias turísticos, o que é sempre útil!





Sem comentários: