segunda-feira, 11 de junho de 2018

Comunidades portuguesas

Ontem não fui à feijoada comemorativa do 10 de Junho, mas hoje não pude deixar de comparecer à recepção na Embaixada para celebrar a mesma efeméride. Foi-me dito que o critério de selecção dos convidados deste ano foram pessoas ligadas às artes, está certo, estava lá o director do festival de cinema, a cantora de ópera, um cinturão negro em taekondo, um ex-bailarino primo de um pianista e eu, artista de circo! De resto, os suspeitos do costume. O que mais ouvi foi "Aaahhh Maria Calíope! Gostava tanto de ter ido à tua/sua palestra, mas (razão qualquer). O tema era tão interessante e queria mesmo saber mais sobre..." inclusivamente do senhor Embaixador. Já a esposa preferiu contar que é avó há 4 dias e parecia mesmo a minha mãe, pois numa fracção de segundo, puxou do telemóvel e começou a mostrar-me fotos do neto recém-nascido! Foi a terceira vez que estive com ela, sendo que das outras vezes não trocámos mais do que um solene "boa noite!". Parte cómica foi também estar a conversar com algumas pessoas mais séniores que no espaço de 10-15 minutos conseguiram repetir 2 vezes a mesma narrativa, contando com o mesmo entusiasmo de quem a relata pela primeira vez! A idade é tramada e eu vejo o meu futuro, mas no meu presente foi mesmo uns pastéis de bacalhau, tâmaras com presunto, empadas de galinha e pastéis de nata, tudo regado com vinho, claro está!

2 comentários:

Boop disse...

Acho que conseguiria encontrar encanto nas duas formas de festejo! (Estivesse eu para aí virada)
É a menina Caliope?
Como foi?

Calíope disse...

Sim, sim, não tenho nada a apontar a qualquer um dos festejos. Já garanti a minha presença na próxima sardinhada, mas feijoada com 30ºC não é a coisa mais apetecível. O Embaixador actual é muito simpático e neste tipo de evento acabo sempre por encontrar pessoas com quem não me cruzo na minha vida normal, o que é bom!