quarta-feira, 6 de junho de 2018

A cup of tea... or two

Não sei como se começa uma colecção, nem a partir de quantas peças/elementos se pode considerar uma colecção de todo. Talvez já tenha exprimido essa dúvida aqui em algum momento. Assim de repente, julgo não coleccionar nada, mas se olhar à minha volta vejo muitos mapas, muitas máscaras, muitos desenhos/pinturas/quadros de cidades (e se passasse para outras divisões poderia enumerar sapatos, malas, relógios, pulseiras, etc, etc.). Portanto não posso precisar quando dei início à compra consecutiva, consequente e acima de tudo consciente de peças de louça azuis e brancas. Um dia hei-de fazer um post sobre o serviço de chá de uma loja amiga do ambiente, da manteigueira (que não vejo há anos) de Bratislava, das cúpulas (que nunca usei) de Marraquexe, das tigelas e tacinhas de Hong Kong ou da peça que me parece ser uma azeitoneira holandesa. Como podem imaginar pela diversidade da proveniência, os estilos, os materiais, os padrões são todos diferentes, mas na minha cabeça estas coisas combinam umas com as outras e sobretudo com um brunch for two.
Acabaram-me de chegar hoje às mãos a peça que faltava para essa refeição. Directamente de Estocolmo como prendinha de uma colega que anfitriei durante esta semana, eis as canecas mais balofas cá de casa. Não são super chubby?
É impressão minha ou têm o seu quê de românticas?

Sem comentários: