quarta-feira, 18 de abril de 2018

Ex-alunos pelo caminho

07:20 - Saí de casa para ir para as aulas. Subia a rua como de costume e de repente vejo um indíviduo a carregar um caixilho de janela - pareceu-me -  a sair de um prédio. Parei para lhe dar passagem, mas ele parou também e deixou-me passar. Passei e já de costas para ele ouço "Fala português?". Não estava à espera que a pessoa me abordasse, muito menos que dissesse qualquer coisa em português. Respondi que sim, sem fazer ideia de quem se tratava. Só poderia ser um ex-aluno... mas de onde? Tive de lhe perguntar expressamente pois àquela hora o cérebro ainda está em aquecimento. Era um aluno que estava a aprender português porque na altura ia fazer Erasmus a Lisboa, mas que começou a fazê-lo com a sua avó, que era mil vezes mais aplicada do que ele.

21:10 - Estava a chegar a casa a dobrar a esquina para a minha rua e ouvi alguém a chamar o meu nome. Virei-me de imediato e reconheci uma cara familiar. Um ex-aluno meu que mora a duas ruas de distância. Já não o via há bastante tempo e por acaso no fim-de-semana até lhe queria ligar (a ele e ao outro com quem vive) para irmos jantar, quando me apercebi que o meu super telefone novo tinha eliminado alguns números. Pedi-lhe o número e trocámos dois dedos de conversa, terminando eu com a sugestão de nos encontrarmos para ir jantar num destes dias. Resposta: "Maria Calíope, em vez de irmos a um restaurante, a gente podia era ir lá a tua casa... Aquele bacalhau com natas que fizeste da outra vez estava tão bom! E eu agora até como marisco!" (Se eu não conhecesse a personagem até iria achar abusado!) (Pronto, já tenho mais candidatos para os meus jantaritos dos próximos meses!).

E a vida continua a acontecer fora de casa! E o que eu gosto de encontrar pessoas conhecidas casualmente pela rua? Talvez seja pelo sentimento de pertença ou de familiaridade ou de outra coisa qualquer, mas conforta-me sempre o ânimo!
  

3 comentários:

Ana A. disse...

Por momentos parece que vives numa aldeia e não numa das maiores capitais europeias!

Calíope disse...

Ahahahahah! Na verdade, moro ali em Cascalheira de Cima, eu é que me armo ao bife :DDDD

Boop disse...

É tão bom!!!
Eu adoro os acasos da vida!

O Mr Boop é uma "desgraça" nisso.
Encontra alguém conhecido em qq canto do mundo. Seja no mais interior de uma serra algarvia no inverno, Seja a passear nas ruas de Paris.
Irra que até irrita!
É demais!