quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

O elo mais fraco

sou eu.

Quando se pede cuidadosamente para que não apertem mais porque pode gangrenar e ser apanhado de surpresa porque ninguém tinha reparado na infecção crónica... Desculpe, querido leitor, se a metáfora bio-médico-anatómica não faz sentido nenhum, mas corpos humanos não são obviamente o meu forte.

Sem comentários: