sexta-feira, 14 de julho de 2017

356º momento cultural: Grace Évora em Bratislava

Eu não sei como este tipo de informação se cruza no meu caminho, mas o certo é que me chega e eu não consigo simplesmente ignorá-la. Desde que soube que Grace Évora ia actuar em Brastislava decidi que ia vê-lo. Há anos que é constante presença na minha playlist e nunca me passou pela cabeça poder ter a sorte de o ver ao vivo e de repente ele vai à Eslováquia? A uns 60km daqui? E eu ia ficar a fazer o quê em casa? Pois...
Desta vez consegui desencantar amigos improváveis para ir comigo - a minha colega da Universidade de Bratislava. Quando lhe perguntei se não queria ir comigo, estava longe de imaginar que a própria e o seu marido tinham tido aulas de kizomba para dançar C4 Pedro (!) como dança de abertura do seu casamento (!!!). 
Afinal, o concerto não era só concerto, vinha agregado a todo um evento que dava pelo curioso (to say the least) nome "Toma-toma" e que ia na sua 5ª edição. Bom, quando chegámos e ao longo da noite eu mal queria acreditar que estava lá "imensa" gente "conhecida" minha. Uma pessoa vai a duas festas e faz outros tantos workshops e de repente já está no circuito. Vi os meus colegas e professor de Graz, umas caras conhecidas de Viena e até um táxi de Zagreb...
No início fomos brindados por uma aula com o Albir Rojas. Eu adorei... um pouco menos quando no meio de umas 50 - 100 pessoas, ele vai buscar à trapalhona Maria Calíope para fazer uma demonstração... pois (ainda procuro fotos desse momento). O homem é daqueles que tem ritmo no corpo, no sangue, na genética, daqueles que nem precisa de se mexer muito e cujo corpo emite energia positiva. É fabuloso!
Pelo caminho dancei com uma série de gente, mas depois da aula, passei mais tempo encostada às boxes do que a dançar efectivamente - em Zagreb foi muito mais gira essa parte - apesar daquilo estar cheio de gente. Enfim, um dia da caça outro do caçador e enquanto estava ali deu para analisar sociologicamente toda a dinâmica do evento.
Já eram umas 2 da manhã quando senhor Grace Évora subiu ao palco. E cantou todas aquelas músicas que a gente sabe de cor. E que bom que foi ouvir Lolita ao vivo! E eu cantei, dancei sozinha, dancei com par e continuei a cantar! 
Foi óptimo mas era tão tarde que era ele e nós que nos queríamos ir embora!
Vamos ver quando é o próximo evento de kizombas! :)

Sem comentários: