sexta-feira, 14 de julho de 2017

355º momento cultural: Die Migrantigen

Filme austríaco acerca de emigrantes, ou melhor, comunidades migrantes em Viena, nem era preciso vê-lo para imaginar que estaria carregadinho de preconceitos... o que não esperava é que o filme fizesse pouco desse mesmo facto. Comecemos logo pelo título. Trata-se de uma fusão de MigrantInnen (emigrantes) e grantig (ranzinza, resmungão), palavra que se usa bastante em Viena, pois supostamente está sempre toda a gente a queixar-se e a resmungar.
Antes do enredo, permita-me o caríssimo leitor a uma breve contextualização. A Áustria tem uma taxa de imigração superior à da UE, sendo que as maiores comunidades estrangeiras (que entretanto já não são estrangeiras pois já vão na segunda e terceira gerações) são turcos e ex-jugoslavos (especialment,e sérvios, salvo erro). Bom estou a esquecer-me propositadamente da maior comunidade estrangeira, os alemães, mas esses têm um perfil diferente. Bom, há muita gente que olha de lado a turcos e ex-jugoslavos, há bairros onde estas comunidades são maioria e basicamente há muito preconceito acerca deles (pense-se no que acontece em Portugal relativamente a cabo-verdianos ou angolanos...).
O filme tem como base uma reportagem que se transforma numa espécie de reality-show da ORF (estação de televisão). A jornalista começa por ir a um mercado entrevistar pessoas com antecedentes migrantes e acaba por tropeçar em dois amigos que não seria exactamente quem ela estaria à procura, mas face ao seu (da jornalista) preconceito, identificou-os como estrangeiros. Eles (um austríaco e outro realmente de origem sérvia) alinham na brincadeira e exageram nos traços migrantes. A partir daí desenrola-se toda uma sequência em que eles tentam aprender todos os tiques, modos e esquemas daquele tipo de pessoa que supostamente eles eram. Claro que aí os bonecos são altamente caricaturados, mas para um público preconceituoso o resultado parece bastante credível. 
As coisas lá se vão desenvolvendo no meio de umas quantas tropelias, mas no fim, eles acabam por entender que estão a cultivar ainda mais o preconceito em relação aos emigrantes e o reality show tem uma reviravolta.
Eu achei a ideia do filme muito engraçada e parece-me que resultou muito bem. Confesso que em algumas partes teria necessitado de umas legendas, curiosamente na parte do dialecto vienense, pois o "alemão-jugoslavo" e o "alemão-turco" não me causou muita dificuldade.

Sem comentários: