terça-feira, 20 de junho de 2017

Horas caladas



Uma aluna esteve nos Açores e mandou-me este postal. Só o li hoje e li as entrelinhas, claro! 
Tantos anos a analisar texto e tanto texto virado que ao ler este poema consegui ver todo o sol que a minha peneira escondia. Silêncio, preciso de silêncio. E nem música se houve nesta casa.

2 comentários:

Boop disse...

:)
"Mudez carinhosa"

Calíope disse...

Espero que seja carinhosa sim. Para já, só sei que é mudez.