segunda-feira, 12 de junho de 2017

Anda em desvario, ai ai ai menina*


Não resisiti a repetir este título e a voltar a escrever quadras de Santo António.

Hoje é noite de santos e a menina anda mesmo em desvario, coisa que não se via por estas bandas há muito, muito tempo. Mal não vai fazer, certo? E perdido por cem, perdido por mil! Vá, Santo António, mexe-te e puxa lá os cordelinhos que me faltam! Garanto-te que trato bem do resto!


Ó meu rico Santo António,
Não te podes queixar da vida que te dei
Andas comigo para todo o lado
Numa carteira de pele comprada em Bombay

A ver se fazes qualquer coisa pela minha vida,
Pus-te de pernas para o ar
E não digas que não te estimo
Pois poderias ter acabado num copo de água a nadar

Já te adiantei trabalho e fiz a pré-selecção
Na verdade, segui para estágio e bola para a frente
Portanto só tens de dar o teu aval
Para que a menina aqui fique ainda mais contente

Apesar de não acreditar em santos
Sabes que tenho um fraquinho por ti
E para além de estar a escrever rimas
Não te esqueças da vela que em Paris acendi

Neste ano não há sardinhas, nem manjericos
Não há marchas, nem broa, nem pimento assado
Orienta-me mas é o tipo acolchoado dos Balcãs
Conhecedor de bacalhau, kizomba e sanã cá para este lado!

Sem comentários: