segunda-feira, 8 de maio de 2017

347º momento cultural: Débarquement immédiat

O festival do cinema francês terminou, mas agora estão em cartaz alguns dos filmes que apareceram no certame. Eu não tinha conseguido ir ver este Débarquement Immédiat, mas achei que seria uma óptima maneira de passar o fim de tarde de sábado. Filmezinho leve que não chateia ninguém era mesmo o que me apetecia. O realizador Philipe de Chauveron era o mesmo do Qu'est-ce qu'on fait au bon dieu? e o filme não saiu do mesmo padrão. A história era simples: um polícia de fronteiras tem como função acompanhar presos que são expulsos de França ao seu país de origem e entretanto é promovido, sendo que lhe resta um último prisioneiro para acompanhar. Esse último prisioneiro faz-lhe a vida negra e eles os dois e ainda mais um polícia acabam enredados numa série de situações caricatas, num jogo de gato e rato. As piadas são engraçadas, mas mais uma vez fiquei com a impressão de estar a ver outro filme, pois o resto da sala riu muito mais do que eu. Os dois actores principais eram dois dos genros do Monsieur Claude, mas curioso foi o facto de o polícia se chamar José Fernandes! 

Sem comentários: