segunda-feira, 3 de abril de 2017

343º momento cultural: Ausgeblasene Eierschale

Devo ser a pessoa em Viena que mais peças polacas viu sem saber polaco! E lá vão quatro! Desta feita a minha amiga dramaturga mudou de função e era a encenadora e eu lá fui ver o que ela andou a encenar.
O esforço que é estar a ver a peça em polaco (onde não entendo mais do que umas quantas palavras soltas - sim, polaco foi uma das mil línguas que aprendi algures na vida) e ler as legendas em alemão tem valido a pena, mas que é um esforço é! E que fique claro que acontece frequentemente não perceber as piadas. Mas acho que mereço logo dois pontos por cada piada, referência cultural ou outra entrelinha qualquer que consiga compreender nesta constelação linguística.
Bom, o título em polaco é "Wydmuszka" de Marcin Szczygielski, que em português seria qualquer coisa como ovo decorativo de Páscoa, que é coisa que eu acho que não é tão comum em Portugal como aqui e aparentemente na Polónia.
A peça parte de dois grandes clichés: a mulher loura e superficial que casou com o sugar daddy e a mulher encalhada, bibliotecária que já na casa dos 40 vive com a mãe. Elas encontram-se numa esquina chuvosa da vida e ficam estupefactas pelo cliché que vêem diante de si. No entanto, o que as repele é inferior ao que as possivelmente as atrai, pois voltam a encontrar-se repetidamente. E enquanto uma impinge à outra que leia livros a outra dá recomendações de beleza à primeira. Tudo muito previsível, apesar de o texto ser divertido, ainda me estou a rir com a piadinha de trolha "Se gostaste do meu nome vais delirar com o meu número de telefone!". O certo é que não obstante todas as diferenças, elas se tornam amigas e partem numa viagem juntas. E aí há um adensar das personagens, especialmente a loura, que poderia ter continuado no seu pedestal de diva - onde estava nas primeiras cenas - mas não, foi-se humanizando. Mesmo a temática saiu dos lugares comuns e seguiu para outros tão femininos como tabu, infertilidade e crianças como estorvo!
Enfim, uma boa peça para um sábado de noite! Mas a próxima, por favor, numa língua que eu entenda!

Sem comentários: