sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Pés no chão (153)


Mais um dia com o chefe fora e mais um bocadinho do V&A.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Pés no chão (152)


Não sei se é musa, se é Medusa, Calíope ou outra qualquer, mas é adorável e consegue sempre cativar-me a atenção. Estava no Victoria and Albert Museum em Londres. Foi a primeira vez que lá fui e fiquei com a impressão que poderia viver lá uma semana que teria mil coisas com que me entreter!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Avô babado

O meu pai ontem: Acho que ela (=o bebé) vai ser muito alta. Já tem 57 cm... Prevejo que vá ter 1,72m!

2 meses de bebé na família e cada um desenvolve talentos escondidos. Eu vou com mais frequência a Portugal, o meu pai prevê o futuro com uma precisão inacreditável. Se calhar deveria perguntar-lhe o que prevê para mim!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Para ser escravo é preciso estudar...

O meio universitário é o melhor resquício de feudalismo que conheço - se calhar também há outros exemplos noutros meios, mas eu não os conheço em primeira mão - é absurdo como as pessoas são usadas e abusadas através de convites fantásticos ou concursos-maravilha que rapidamente se transformam em trabalho escravo, com exigências mesquinhas e sem qualquer tipo de coerência nem pé na realidade.
Eu estou farta destas relações feudais que na verdade só favorecem uma das partes... farta! Mesmo.

Nunca pensei em dizer uma coisa destas

(por todos os motivos e mais alguns)
(mas hoje saiu-me isto)

Giro, giro era eu também engravidar para o ano e lixar a minha entidade patronal... na verdade às três empresas.

domingo, 25 de setembro de 2016

321º momento cultural: Salomé

Já não ia à Ópera ver uma ópera propriamente dita há anos, as últimas óperas que vi não contam para o segmento "ópera clássica", pois as óperas do Theater an der Wien têm outro espírito e a ópera do malandro tanguero que vi em Montevideo também era toda outra ária!
O meu problema crónica com a ópera é que nunca percebo a história, o que não seria tão grae se estivesse entretida a ver as pessoas a dançar, mas no caso como não tenho grande ouvido para a música, não perceber a história é ficar feito boi a olhar para um palácio. Já tentei ler os enredos antes, mas achei que fazia melhor em ir a balletts e deixei as óperas para outras núpcias.
No entanto, toda esta questão foi contornada quando a história relata uma série de acontecimentos que eu conheço: Salomé dança para Herodes e pede-lhe a cabeça de S. João. Tendo em conta o dia específico que era, queria mesmo ver esse episódio e lá fui eu para a Staatsoper. Pela primeira vez consegui entender o que os cantores cantavam e acompanhar em simultâneo as legendas em inglês. Portanto prova superada! Percebi a história! De qualquer forma, tenho a confessar que ópera não é bem para mim, apesar do cenário klimtico desta ser mesmo muito bonito. Continuo a preferir os bailados!

sábado, 24 de setembro de 2016

Separador

Há cinco anos eu acordei acompanhada num sábado depois de uma noite mal dormida para possivelmente a pior manhã de sempre. Sentia-me mal, daí o sono inquieto, talvez já inconscientemente a preparar-me para o que viria ser-me servido logo pela fresca pelo meu acompanhante. Foi terrível e não o desejo a ninguém, tirando ao dito acompanhante que arda para todo o sempre no inferno, claro!

Hoje acordei depois de um sono dos justos, curto porque ontem ouve friday-night-fever que me fez voltar a casa só às duas e tal, mas justo e sem o relógio tocar já estava desperta às sete. Passaram-se cinco anos, mas na verdade parece que há uma eternidade a separar esta e a outra manhã. Já nem me lembro bem do indivíduo e duvido ainda mais que tenha gostado dele. O tempo é realmente um fenómeno fabuloso. Passei o dia ocupada com diversas coisas mas terminei-o na ópera a ver Salomé de Richard Strauss e não pude deixar de pensar na coincidência, com as devidas diferenças, livrei-me de um peso morto.

Vá o peso vivo que entre em cena!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Ortopedista

O médico disse-me que fosse ver vídeos de pilates no youtube... Não sabia que o youtube também podia ser prescrito por um médico.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Regresso às aulas

Voltaram as aulas de dança (sim, mesmo desancada e proibida de correr, continuo a fazer dança do ventre) e há várias colegas novas. Entre elas, uma freira!

(Parece piada mas não é).

domingo, 18 de setembro de 2016

Arrumações

Resultado de uma tarde tirada para arrumar o guarda-fatos:
- Vestidos de festa para dar (um deles nunca usado)
- Vestidos de Verão por usar - eu sabia que existiam, mas na minha imaginação eram bem mais feios!
- Vestidos de meia-estação (ainda) me caem tão bem (eram os candidatos para serem dados, mas não fui capaz)
- Vestido de cocktail comprado nos últimos saldos arranjado (tive de subir as alças)
Tenho tantos vestidos para todos os gostos e ocasiões que estou a pensar dedicar um dia por semana a essa peça de roupa. Não faz sentido ter vestidos tão giros e ficar à espera do Pai Natal para os usar...

sábado, 17 de setembro de 2016

Desancada

Maratonista é aquilo que nunca serei... pelo menos literalmente.
A minha carreira de corredora terminou esta semana quando dois massagistas diferentes me recomendaram não correr. Parece que o impacto da passada me desancou.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Gosto muito de você leãozinho

Achei que levar menos do que 3:0 no Santiago Bernabéu já seria uma quase vitória e fiquei a pensar que deve ser muito chato entrar em jogo com a semi-certeza de que se vai perder. Seria quase como os gladiadores, que ao entravar na arena, já sabiam que iam morrer e só deviam querer que fosse o menos doloroso possível. Tendo isto em mente, nem conseguia acreditar nos meus ouvidos (sim, estava a ouvir o relato) que o tempo ia passando e o Sportingzinho lindo ia aguentando bem o nulo, quando marcou então, foi o delírio que me fez comunicar com o único sportinguista que conheço (só depois é que me lembrei de mais dois ou três) e pensar que era só aguentar as coisas por mais 40 minutos... Aguentámos 38... e os 4 de descontos é que nos tramaram. Mas que bela surpresa, mesmo tendo caído no fim, caímos de pé!

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

319º e 320º momentos culturais - Especial Lisboa

Nunca marquei uma viagem para Lisboa tão em cima da hora, mas a nova constelação familiar obriga-me a uma nova postura. Fui exclusivamente para ver a minha sobrinha e fazer com que ela comece já a exercitar a memória, ou seja, não deixar passar muito tempo para que ela se esqueça de mim! Mesmo sendo uma visita-relâmpago, apercebi-me nas vésperas acerca da coincidência de datas da minha estadia com dois concertos que queria ver há muito tempo. António Zambujo e Caetano Veloso. Se calhar estou a tornar-me numa excêntrica, mas consegui ir ver os dois.

319º: Caetano Veloso

Descobri que ia tocar no Coliseu no dia antes de embarcar e nem queria acreditar na coincidência. Acreditar na dificuldade em encontrar companhia para ver Caetano Veloso em Lisboa infelizmente parece-me mais crível... Mesmo assim consegui: companhia e bilhetes. Já não havia opções nenhumas por isso lá fui eu para os camarotes sem saber muito bem ao que ia. (Lá no concerto é que dei conta que dei quase 50€ por um bilhete para ter de ver o espectáculo de pé! Como é possível aqueles seis lugares terem o mesmo preço, sendo que só os primeiros dois é que vêem qualquer coisa?! Enfim... camarotes nunca mais!) Não quis pensar muito nisso e concentreo-me no concerto. Ver Caetano é ver uma lenda viva e era essencialmente por isso que eu queria ver. Na véspera, enquanto fazia a mala, estive a ouvi-lo no youtube, só para me inteirar melhor do reportório. Ele cantou com a sua viola e encantou. Eu já que estava de pé, aproveitei para dançar e cantar o que conhecia! E se o Sozinho atirava-me para os tempos da faculdade e já adorava o Leãozinho, agora a minha canção preferida de Caetano passou a ser este Reconvexo.


320º António Zambujo

Há quase dois anos que quero muito ver o António Zambujo e temos andado muito desencontrados, por isso vê-lo agora e de graça no Casino do Estoril foi mesmo um jackpot! No entanto, por qualquer motivo achei que o concerto era às 21:30 por isso estava no Casino pouco passava das 20:00... Às 22:00 já estava meia aborrecida e de rabo achatado, quando a pessoa que estava ao nosso lado nos informou que o concerto era às 23:00!!!!! Como 23:00?!!! Bom, lá ficámos a achatar mais o rabo...
Mas o certo é que quando o homem entrou às 23:15, nem parecia que estava lá sentada há 3 horas! Ele canta tão bem, é bem humorado, divertido, interage com o público e canta aquelas músicas fantásticas, poderia pedir mais? Não! Mas ele deu, estava lá o Ricardo Guerreiro a fazer magia com os seus dedos e o tipo do violoncelo deu todo um outro ar à coisa. Supostamente, se eu percebi bem, foi ele quem fez os arranjos para o alinhamento e estava tudo maravilhoso com um toquezinho mais swing ou assim. Olhem A-D-O-R-E-I! Tinha aqui a gravação do Zorro, a minha música preferida, mas não consigo fazer o upload por isso fica aqui outra versão ao vivo.


terça-feira, 13 de setembro de 2016

Freak magnet XXX

Desde que andei pela América no Sul no ano passado comecei a desconfiar que a havia uma relação directa entre a ingestão de álcool e a distribuição de cartões de visita (conferências ficam fora desta correlação). Na viagem ao Atlântico Norte essa teoria começou a ganhar algum terreno. Durante quase três semanas bebi uma margarita e não dei um único cartão.

Bom, de regresso a Viena encontrei um amigo meu, que já não via desde o início do Verão, portanto fomos os dois à conversa o voo todo. Chegada a refeição, o comissário de bordo dirige-se a mim em inglês, perguntando-me o que queria beber. "Um vinho branco e um copo de água, se faz favor". E ele lá se desculpou por ter falado em inglês e serviu-me. O meu amigo pediu o mesmo e ele serviu-o, dizendo que afinal o meu copo estava mal servido e entornou-me mais vinho. Nós continuámos a conversar e o comissário que já estava na fila a seguir pergunta-nos se somos um casal. "É que se fôssemos éramos um casal muito internacional". O meu amigo respondeu que não éramos um casal, mas éramos muito internacionais! Depois perguntou se trabalhávamos em Viena e se eu tinha ascendência goesa e num pulinho estava eu a dizer que queria visitar as antigas colónias portuguesas e ele a dizer que tinha vivido na Suíça. Depois do jantar nós pedimos mais vinho e continuámos em animada cavaqueira - eu e o meu suposto marido. Algum tempo depois, ao ir à casa-de-banho dou com o meu amigo à conversa com a tripulação de cabine e a tecer rasgados elogios às minhas aulas!!! Bom, já que estávamos a falar do meu métier, lá fui eu desencantar o cartão de visitas...
O meu pseudo-marido tratou de o passar ao comissário de bordo!

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Localização

Por eu não ter conseguido sequer dar um arzinho da minha graça ao longo dos últimos dias, o querido leitor deve ter adivinhado o destino da minha viagem. Estive em Lisboa, claro está, haverá mais algum sítio do mundo onde eu nem tenha tempo para me coçar?! Não, não há, digo eu. Bom, foi uma viagem relâmpago, uma visita de médico, mas coroada com dois grandes eventos... (depois conto) Nem precisava de evento nenhum, pois ir ver o bebé mais fofinho que nasceu desde Novembro de 1978 já era recompensa suficiente para não sei quantas horas de voo e uma ginástica de horários, mas adorei o facto de ela não me estranhar... nem sequer quando lhe comecei a contar histórias em alemão (bom, contar histórias é uma força de expressão para dizer que eu estava a ler-lhe o livro que eu própria estou a ler)!

domingo, 11 de setembro de 2016

Pés no chão (151)


Pois... mais um dia e mais uma voltinha em Londres.

sábado, 10 de setembro de 2016

Pés no chão (150)


E de repente um pulinho a Londres e ao National Gallery. Na altura estava desesperada por uma casa-de-banho, mas claro que aproveitei a boleia para ver a belíssima colecção!

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Pés no chão (149)

E eis-me prontíssima a retomar as aulas de tango em Viena... Parece que tenho um pernão e coxa grossa - mas garanto que é mesmo um mau ângulo!

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Pés no chão (148)


Um chão com muitos cantos - os da Universidade de Viena - e a minha cara redonda, redonda... tinha acabado de tirar um siso no dia anterior, o que dá uma moldura perfeita para ter uma reunião de trabalho com pessoas nunca vistas.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Pés no chão (147)

No último Pés no Chão estava a experimentar estes ténis dourados em Madrid e a pensar se os levava ou não, nestes aqui, estava a estreá-los em Lisboa, feliz da vida! Em Lisboa, feliz da vida - volta a coincidir com a realidade! 

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Incentivo

Começar a preparar o semestre que aí vem e aperceber-me que tenho menos aulas do que esperava. Nem vos digo quantas... mas digamos que eu questiono a designação "semestre".

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Preciso de chamar um canalizador

E cada vez que penso nisso não consigo desassociar a ideia de uma personagem de filme porno!

domingo, 4 de setembro de 2016

Sunday morning!

Isto deveria ter saído como saturday night fever, mas acabei por ir celebrar a fever para outro lado. De qualquer modo, anima logo qualquer manhã domingueira!




sábado, 3 de setembro de 2016

318º momento cultural: Escher

Gosto de arte. Gosto de quebra-cabeças. Gosto muito de Escher! Andava eu por Milão a pensar no que iria fazer durante o dia quando me cruzei com um cartaz a anunciar uma exposição de Escher. Pronto. Problema resolvido. A questão era só onde é que ela se encontrava e como chegar lá. Se quem tem boca vai a Roma, quem tem um mapa vai ver Escher no Palácio Real ao lado do Duomo.
Há 10 anos visitei a casa de Escher em Haia portanto era mais do que tempo de rever velhos conhecidos! O palácio valeria uma visita por si só, por isso foi logo um 2 em 1 e ainda antes de entrar na exposição propriamente dita, havia um ponto interactivo, onde nós próprios poderíamos constar na bola de cristal de Escher como aperitivo para o que ali viria.
A exposição estava muito bem organizada e dei com uma série de obras que não conhecia. Como tinha o guia-áudio tive também direito a uma série de referências que eu não dispunha. Mas confesso que o que acabei por gostar mais foi dos pontos interactivos onde podíamos ver algumas das construções em tentativas 3D, tentativas porque o trompe l'oeil em 3D não engana ninguém! E noutros pontos onde o visitante poderia fazer parte do mundo maravilhoso do artista. Eu não conhecia este quadro, mas claro que adorei participar do mesmo! Aquela pessoa ali é nada mais nada menos do que Maria Calíope, a própria! Noutros pontos, mesmo tendo tirado uma série de fotos, não tenho a certeza se fiz o enquadramento certo. Mas para quem vá a Milão nos próximos tempos recomendo vivamente a exposição!

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Festas temáticas

Ontem voltei ao Thirty Dancing. Uma noite de verão, pista de dança a céu aberto, balões a voar no céu, música comercial para dançar, boa companhia - tudo perfeito até alguém ter entornado uma cerveja em cima de mim. Felizmente foi mesmo no final da noite. Mesmo tendo sido só o braço e parte da camisola fiquei com aquele agradável cheiro que me fez querer ir logo para casa tomar um banho.
Ao comentar o facto com a minha mãe "fui à soirée dançante para pessoas idosas e levei um banho de cerveja" fui confrontada com as respostas espirituosas da minha mãe: "Era uma festa temática? Assim como havia antes na Kadoc a festa da espuma?" (Pois...)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Uma coisa leva a outra...

Estava a tentar ilustrar aleatoriamente o secretário (abaixo) e colocar-lhe o devido link quando me cruzei com este post e de repente como que se fez luz! Antes das minhas costas se entrevarem e eu ficar retida na cama a conjecturar o futuro, o senhor Oniro brindara-me com uma incursão a um passado que não existiu. A interposta pessoa respondia surpreendemente a um apelo meu, mas apenas se expressava com iniciais. Se as primeiras falas a dedução foi imediata, nas seguintes eu tive de me esmerar... não sei se consegui perceber ou não, mas não me lembro das letras da charada.
Ibrahimovic, who else?