quarta-feira, 15 de junho de 2016

310º momento cultural: Vor der Morgenröte

Em português seria qualquer coisa como Antes do Amanhecer - Os anos de Stefan Zweig no exílio. Stefan Zweig é um escritor austríaco que em meados do século era dos escritores mais conhecidos/lidos/traduzidos do mundo. Face à guerra e à desilusão com a Europa, ele exila-se no Brasil - passando durante esses anos de exílio também pelos Estados Unidos.
O filme é muito interessante especialmente pelas reflexões que Zweig faz sobre o Brasil, sobre a Europa. Para ele o Brasil era o país do futuro e a Europa tinha era de aprender com essa aparente convivência de raças e classes... (pois...)
No entanto, o chamariz que me fez ir ver o filme foi o facto das cenas brasileiras terem sido filmadas em São Tomé. Porém, ao ver o filme apercebi-me de que se São Tomé era o "Brasil", havia muitos portugueses que faziam de "brasileiros". Virgílio Castelo, Nicolau Breyner, João Lagarto, João Didelet, Maria Vieira e por aí fora. Há um outro português que faz de argentino falante de alemão. A partir do momento que me dei conta da presença dos portugueses o filme passou a comédia, pois eles falavam em português do Brasil, o que para mim me soou muito estranho. O cúmulo foi a cena onde um aracaju da vida, especialidade da vila de Pernabimcabutu é apresentado como um... pastel de nata!!!
Lá está o público-alvo deste filme não é português e possivelmente não deu pela inconsistência!

Sem comentários: