quarta-feira, 11 de maio de 2016

301º - 303º momentos culturais - Especial Paris

301º - Exposição de Amadeo Souza-Cardoso no Grand Palais
Este foi na verdade o motor desta viagem a Paris, queria voltar a ver Amadeo, queria voltar a Paris porque não juntar o útil ao agradável? E foi um reencontro muito feliz! Ver coisas bonitas vale sempre a pena!
Não sabia bem o que esperar da exposição, mas a divulgação da mesma poderia criar grandes expectativas, mas eu ando tão serena que aceito o que a vida me dá e fico feliz por isso. Portanto assim que cheguei a Paris, segui directa para o Grand Palais!
As primeiras salas foram sem dúvida as mais emocionantes para mim. É a fase mais cubista, talvez, mas com certeza a que gosto mais. Já tinha saído da Gulbenkian completamente deslumbrada há dois anos e agora o sentimento não foi muito diferente. Que luxo poder regalar-me com coisas destas! Dei duas voltas à primeira sala. A primeira para ver, a segunda para tirar fotografias! Gosto tanto do paralelismo das linhas que forma figuras não visíveis à primeira vista.
E continuei pelas seguintes, não com tanto entusiasmo, pois não gosto assim tanto das restantes fases. Limitam-se no meu ranking a serem giras. Valeu a pena ver algumas obras, na verdade, composições que não conhecia, mas do que eu gostei mesmo foi daquela primeira sala e daqueles cavalos maravilhosos. Fiquei semi-desiludida quando cheguei à loja e encontrei o merchandising possivelmente vindo da Gulbenkia. Posters que é bom nada... e mesmo os postais só havia de obras mais emblemáticas que não são exactamente as minhas preferidas. Uma pena! Mas vá desta vez tenho a vantagem de ter um registo fotográfico do que queria.




302º - Notre Dame
Associo Notre Dame ao Corcunda, a gárgulas e a um relógio da swatch que tinha com esse mesmo nome. Nunca consegui entrar na catedral, nem tenho bem a certeza se alguma vez tentei.
Queria ter subido, mas não dei com qualquer indicação de escadas ou elevador. De qualquer modo, com tanto o que ver lá dentro, uma pessoa facilmente se esquece de procurar o que seja. Os vitrais são maravilhosos e gostei também de um painel esculpido em madeira com cenas da vida de Cristo... ah! e daquela inscrição que vos mostrei nas fotos de Paris. Portanto, uma pessoa não se aborrece lá dentro! Achei particularmente curiosa a inscrição a dizer que ela foi começada a construir no pontificado de Alexandre III... o mesmo papa que aceitou e reconheceu Afonso Henriques como rei de Portugal.




303º - Musée Marmmotan Monet
Já devo ter dito que esta viagem foi cheia de surpresas e este museu foi um deles. Nunca tinha ouvido falar, até uma aluna mo ter recomendado vivamente. Documentei-me para saber se valia uma visita e eis que descubro que a colecção permanente inclui talvez a minha obra preferida de sempre: Impression - Soleil Levant de Monet. Só isto era mais do que razão para me pôr a mexer e lá fui eu. Outro reencontro feliz! Eu era capaz de jurar que já tinha visto o Soleil Levant ao vivo e que era muito mais pequeno...  e até o poderia situar no Fine Arts de Boston em 1994. Não sei se a minha cabeça me engana ou se nunca o vi para além da minha sala. Agora posso ter a certeza que vi mesmo na sua casa! Também vi os dos nenúfares e os outros todos pintalgados, mas gosto mesmo é do Soleil Levant! Como já tinha um em casa, achei que seria demais trazer outro, mas acabei por comprar mais dois Monetzinhos mais maneirinhos e simpáticos para a minha sala!




Sem comentários: