quinta-feira, 14 de abril de 2016

Portugal é uma princesa

Ontem na aula sobre D. Sebastião, explicava aos alunos como uma decisão irresponsável de um rei teve consequências nefastas para Portugal e como o seu desaparecimento deu origem ao mito sebastiânico. Explicar que no sebastianismo se acredita que D. Sebastião há-de voltar não lhes foi difícil de compreender, a parte da actualidade deste mito é que lhes pareceu mais questionável. Eu lá lhes enquadrei o mito na crença cristã daí também ter tanto eco. Por outro lado, esta atribuição do nosso destino nas mãos do alheio consistem numa estratégia de desculpabilização, irresponsabilidade e vitimização. Por fim, saiu-me esta comparação: Portugal é uma princesa, que espera que o príncipe a salve, pois ela coitada não pode fazer nada, coitadita. Por isso o mito se vai perpetuando...
Nunca tinha pensado nisso nesses termos, mas na minha cabeça isto faz muito sentido.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sim ,mas o príncipe pôs-se na alheta e nunca mais voltou !O Brasil...agora só lhe resta deixar de ser princesa ,dondoca e virar "Maria da Fé " renascida ...irá longe !!

Calíope disse...

Ahahahahah! O Brasil é que era o príncipe?! Este conto-de-fadas está cada vez melhor :) Mas não percebi a parte "Maria da Fé".