sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Farinha do mesmo saco


Complete a sequência:

Cenas calientes
Bolinha vermelha
Sol, salero, sevilhanas
Orange girl (Appelsinpiken)

É genial quando se fala a mesma língua!



Renata Domagalska, Flamenco Dancers

...



"Infantil", "dramática" e "cínica".

Os sapos do tamanho de bois que uma pessoa é obrigada a engolir. Afinal uma pessoa é só uma pessoa qualquer... e é triste. Muito triste.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Pequeno-almoço

Longe vão os tempos em que eu comia uma tigela de cereais ao pequeno-almoço. De um dia para outro, cansei-me e desde então tenho feito a bela asneira de sair de casa sem comer. Já tentei várias estratégias que me consumam pouco tempo e me obriguem a comer qualquer coisa (de que goste) ao pequeno-almoço (müsli do Billa, croissants do Der Mann, papas de tâmaras e amêndoas no escritório...). Nada resultou. Se o caro leitor bem se lembra um dos meus propósitos de ano novo era regular o meu consumo de alimentos. Pois. Emboída no espírito Quaresma e ressacando batatas fritas, Maria Calíope resolveu que teria mesmo de comer qualquer coisa prazeirosa ao pequeno-almoço e foi neste alinhamento que foram criadas as primeiras overnight oats cá em casa. Para minha grande surpresa, as overnight oats são o equivalente ao birchner müsli alemão (o que eu comprava no Billa).
Assim, comprei uns frasquinhos, o empenho é tanto que até os fervi antes de os usar, e ontem montei lá fiz a mistela necessária. Então misturei aveia com sementes de girassol e abóbora, polvilhei com canela e juntei mel, leite q.b. e mexi tudo. A seguir veio a generosa camada de iogurte natural e por fim mirtilos e framboesas. Na verdade, voltei a mexer tudo e prontíssimo.
Hoje de manhã, peguei no boião e levei-o para o escritório! Resultou! Amanhã há mais e só espero estar a criar um hábito e isto não ser só entusiasmo inicial, pelo menos já tenho uma série de ingredientes pensados para as próximas edições!

Adult content

Pronto uma pessoa põe umas costas musculadas para animar as vistas e leva com a EMEL dos blogues a ameaçar bloquear-nos as rodas e rebocar-nos o carro...

Pronto tomem lá a bandeirinha dos conteúdos para adultos, senhores de EMEL dos blogues, sem fazer ideia de como este post está encarreiradíssimo com o anterior. Só por isso levam  mais um Ibrahimovic molhado, para não estarem com coisas - e depois voltamos a trocar receitas e falar de crochets!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Sabe bem, mas faz tão mal



Uma pessoa até pode ter rédea curta na vida real, mas chega ao mundo de Oniro e não há disciplina, nem racionalidade, nem Quaresma que resista.
Eu só gostava de me lembrar o que estava lá escrito nas costas da interposta pessoa.

Ibrahimovic de costas - Campanha 805 million names.

Serenata




A vantagem de chegar a casa a horas decentes (ainda de dia) é ter um coro de passarinhos a chilrear aqui mesmo à janela. Eles estão animadíssimos e eu aprecio o luxo!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Em banho-maria


Ao longo dos anos tenho tido alunos que me dizem que vêm aprender português para exercitar o cérebro.
Eu, as minhas ideias mirabolantes e a mania de que posso mundos e fundos estou precisada de descansar o meu. Pelo menos a estas horas...

PS: Uma semana sem batatas fritas.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Só para ter a certeza

Um homem com chiliques, achaques e fanicos não se aguenta, certo?

Já há uns anos houve um indivíduo que cancelou uma saída comigo por estar com dores de cabeça, hoje foi um outro, que já vai em pontos negativos, que cancelou um café por estar constipado!
E eu e as minhas ideias peregrinas de que toda a gente merece uma oportunidade. Não, Maria Calíope, não!

Honoré Daumier, The Hypochondriac

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Day spa

Uma pessoa chega a St. Martins de manhã cedo e sai de lá depois de o sol se pôr e mal nota que passou lá mais de 8 horas...
St. Martins Therme and Lounge foram as termas escolhidas para passar o dia de hoje e como eu estava a precisar de um dia destes, de relaxamento total, onde a preocupação máxima é não arder na sauna ou não congelar entre a saída da piscina e o sítio onde ficou a toalha. Já sabemos todos que este é o desporto de Inverno de eleição de Maria Calíope: ir para as termas. Na verdade do ano todo, apesar da sazonalidade da coisa. Piscinas com águas entre 32º-35ºC com jacuzzis e outros tantos jactos de água e repuxos, as saunas finlandesas de 90ºC e, no caso concreto, uma espreguiçadeiras de baloiço fizeram as minhas delícias. O banho turco e a sauna de 60ºC hmmm hoje não sairam bem cotados.
 Além de tudo mais, adorei a vista do restaurante: o lago e umas casas de palha com direito a pontão equilibrado em troncos de madeira que conferiam mesmo o ar de férias nas Caraíbas (estava sol e tudo!). Um luxo é o que vos digo. Os 7ºC eram irrelevantes, verdade que se diga. E a grande surpresa foi o prato de fruta fresca que nos serviram depois da última sauna! Como vos digo um luxo e eu era capaz de viver assim!

Almofariz 7

Desde meados de Janeiro, o Nata Lisboa chegou a Viena e fica a uns quantos minutos a pé do meu escritório. Já lá tinha ido comer um pastel e difundido a informação entre os meus colegas que os adoram e se desunham quando volto de Lisboa com dúzia e meia deles.
Fomos lá ontem almoçar. Supostamente era ir buscar umas empadas e levá-las para o escritório. Acabámos lá a comer um menu: duas empadas com salada, um sumo e um pastel de nata. Eu comi uma de bacalhau e outra de farinheira. Nunca tinha visto tal coisa em Lisboa... é que nem me consigo lembrar de outra empada que não seja de galinha. Foi giro estar a comer empadas e um pastel de nata ao almoço com os meus colegas: uma catalã, um eslovaco e um italiano. Com certeza voltarei lá quando precisar de comida para me aquecer a alma. No fim o dono até nos deu sacos: The world needs nata!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Feliz Ano da Cabra!


Standing out from the crowd

Já sabemos que Maria Calíope além de ser rainha dos saldos e outras pechinchas, também consegue concentrar em si um grande número de acontecimentos caricatos. Nasceu com o rabiosque virado para a lua, o que a faz estar em alinhamento cósmico com situações do arco da velha. O final do ano do cavalo reservou-lhe uma bela surpresa: Maria Calíope recebeu um simpático email de uma figura pública. Não era uma mensagem para uma mailing list, não era em resposta a nada que eu tivesse perguntado, não estava mesmo nada à espera. Daí a surpresa ainda ter sido maior! É óptimo comprovar que não há limites para tudo o que pode acontecer!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O dicionário contra-ataca




Pois é.... a saga do dicionário continua.

Pedi a extensão de limites: 5 páginas e mais dois meses!

Voltei às leituras.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Mardi Gras

Cá nesta terra não se celebra o Carnaval, ou melhor comemora-se sim, come-se um Krapfen (tipo bola de berlim em mau) e está o assunto resolvido até ao ano que vem. Este ano não comi Krapfen e também não foi este ano em que fui a Veneza passar o Carnaval. De qualquer modo, queria aproveitar a época festiva e resolvi combinar com outro evento com o qual muito simpatizo: o ano novo chinês. Em dois dias passamos do ano do cavalo para o ano da cabra. Quem sofre as consequências da minha criatividade são os meus pobres alunos como de costume, mas hoje até não se podem queixar, para festejar a Terça-Feira Gorda e o Ano da Cabra... fiz tostas de pão de noz com queijo de cabra e mel! Tudo montadito, tudo no forno por 10 minutos. Uma delícia! E eles não torceram muito o nariz ao debatermos as tradições chinesas do ano novo!

Provação

A quaresma e a época de jejum (isto deve ser popular cá no burgo, pois existe palavra especial para isto e tudo - Fastenzeit) só começam amanhã e eu já estou em sofrimento. Cheguei a casa e seria o momento perfeito para abrir um pacote de batatas fritas... não posso, porque tive a infeliz ideia de jejuar de batatas... então o que é que eu vou lanchar?!!!
Estou para ver como vão ser os próximos 42 dias!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Em vésperas de Carnaval

Uma amiga sugeriu-me fazermos uma dieta - ou vá - renúncia durante a Quaresma: deixar de comer doces. Para uma pessoa que é capaz de comer uma caixa de Tofifi ao almoço - como almoço - é realmente um esforço, mas para mim que raramente como doces, estar em renúncia ou normal seria a mesma coisa. Por isso, ocorreu-me uma coisa muito mais significativa na minha rotina alimentar: batatas fritas. Normalmente marcha um pacote por semana. Semanas críticas podem merecer dois pacotes. Eis a minha renúncia quaresmal - batatas fritas e se Deus quiser por arrastamento aquele pneuzão que resolveu instalar-se na minha zona abdominal. Já comecei hoje! (Só contam as de pacote).

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Solução

Então confirmou-se tratar-se de um golpe de marketing do World Food Programme das Nações Unidas. A campanha chama-se 805 million names e chama a atenção para a fome no mundo. Afinal não só as misses que se encarregam deste discurso, aqui o macho-alfa também!






 Vejam o vídeo. (No site da campanha está a versão integral).







Não é surpreendente e na mesma medida adorável este Ibrahimovic?
(Eu mais um pouco e afogo-me na minha própria baba)

Notícias da vizinhança

O caríssimo leitor sabe que o condomínio onde Maria Calíope reside não é só bem frequentado como ainda propicia a interacção entre os condóminos. Depois de uma sequência inicial mal-intencionada, os propósitos de Maria Calíope tornaram-se puros, cândidos e completamente desinteressados, não visando mais do que a mera boa vizinhança.

V1 precisou de umas 5 mensagens espaçadas entre vários dias para me perguntar se queria tomar um café, pois ele queria umas dicas sobre Lisboa. Acedi, claro, mas ainda aguardo que o senhor se chegue à frente com a data.

V2 ligou-me hoje a meio da tarde para me pedir açúcar!!! (Isto é que é vizinhança a sério!) Fui lá acima levar o meio quilo existente cá em casa e recebi em troca o melhor gin tónico do mundo (pelo menos em 2012), acompanhado por um sol a pôr-se naquela varanda. Claro que o senhor além de me preparar o gin ainda me teve de emprestar um casaco, pois é muito giro estar ao sol e tal e ver a vista... mas estavam uns 5ºC! 

Já podemos continuar respirar?!


Acabei de me surpreender agora mesmo com esta* notícia no DN. A mim interessa-me claro, mas a pessoa que a escreveu deve ter exactamente os mesmos interesses do que eu... caso contrário esta não-notícia não se justificaria. Fui à procura de mais fotos para ver melhor o que foi tatuado, mas não encontrei... Realmente o mundo desconhecia e aparentemente nem está aí... à excepção de mim e do jornalista desta peça! (Acho que pela primeira vez neste blogue falo do Ibrahimovic como tal e não como interposta pessoa).

Update (14:53): Afinal afinei a pesquisa e parece que o homem vai explicar tudo amanhã (hoje?). Segundo consta tratam-se de tatuagens falsas (como aquelas dos pacotes de batatas fritas...



* Como imagino que isto desapareça em breve, fica aqui a cópia da mesma:

Ibrahimovic tirou a camisola e o mundo viu o que desconhecia

Há menos de um ano, futebolista sueco não tinha uma única marca no peito. Ontem, tirou a camisola para festejar um golo. Quem viu, ficou de queixo caído.
França Ibrahimovic marcou ao Caen quando o relógio só ainda marcava dois minutos de jogo. Empolgado, tirou a camisola e o mundo esqueceu tudo o resto. Poucos saberiam que o avançado sueco do PSG tinha o corpo tão tatuado.
Ainda há menos de um ano, quando jogou com Portugal no play-off de acesso ao Mundial 2014 e trocou de camisola com Ronaldo, o sueco não tinha uma única marca no peito, agora está totalmente tatuado. A imagem correu mundo e fez esquecer que o PSG empatou (2-2) depois de estar a vencer por 2-0.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Babysitter

Sexta-feira treze foi o dia que escolhi para colmatar uma lacuna do meu cv: babysitter.
Ofereci-me para tomar conta da filha de uma amiga minha para que ela pudesse comemorar o seu aniversário. Possivelmente face à minha reputação eu seria a última pessoa a quem ela pediria tal coisa e de quem ela esperasse tal oferta. O certo é que a miúda é uma simpatia e o bebé mais easy que conheço! Na verdade pouco tive de fazer. Ainda brinquei um pouco com ela enquanto os pais ainda estavam por casa e eles ainda a puseram a dormir. A minha verdadeira função seria controlar se ela dormia bem... Nada de especial: jantei, vi um filme e ainda estive a ler um livro. De meia em meia hora lá ia ver se ela estava a dormir bem... a certa altura fiquei na dúvida se ela estaria a respirar (!) pois em três momentos de controlo ela estava exactamente na mesma posição!!! Que horror ter a responsabilidade sobre a vida de outra pessoa assim... Felizmente continuava a respirar!
Os pais não pararam de me agradecer quando chegaram pelo meu primoroso trabalho (ahhahahahah) e até me queriam pagar o táxi para casa, qual babysitter profissional. Recusei obviamente. Mas acho que o lugar é meu!
Em terra estrangeira é bom desenvolvermos esta rede de segurança que teríamos em casa.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Oooohhh

Hot tea logo pela fresca a desejar-me que receba mais destes!

235º cultural: Relatos Salvajes

Como o caríssimo leitor sabe, a Argentina anda no meu horizonte de há uns anos para cá, desta vez a coisa concretizou-se no formato cinematográfico. Acho que nunca tinha visto um filme argentino. Mas se todos forem como este, acabou de ganhar uma fã. Relatos Salvages ou Wild Tales conta várias histórias, são vários contos que têm como denominador comum situações normais, problemas mal resolvidos no passado, ataques de fúria e perda de controlo
. Tudo misturado com uns quantos twists! Os contos são dramáticos e muitos deles são violentos e não têm finais felizes, mas tanto o guião como as situações acabam por ser muito cómicas e tão (espero) inverosímeis que provocam riso e descrença!
As minhas preferidas foram a primeira (a do avião) e a última (a do casamento). Vejam aqui o trailer!
Saí do filme a pensar se os argentinos terão todos o pavio tão curto. Uma das colegas com quem fui, colombiana, dizia que sim, que na América do Sul eles têm todos muita tensão acumulada e que vivem assim, numa espécie de barril de pólvora, só que no filme ele explodiu.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

234º momento cultural: Birdman

Como disse algures, em Lisboa aproveitei para ir ao cinema. Julgo ter sido a primeira vez que fui ao cinema ao Alvalaxia. Fui ver o Birdman. Queria ver o Birdman. Tinha visto o trailer do Birdman e sabia-o nomeado para vários Óscares e já detentor de outros tantos galardões. Mas tendo em conta que não sou grande fã de produções americanas com ou sem super-heróis, não sei bem o que me moveu a querer ver o filme. Já passada uma semana, eu ainda não me decidi se gostei ou não do mesmo. O filme é estranho. A sequência marca pela diferença e ganha pontos por isso, mas o conteúdo não me convenceu assim tanto. Sim, é interessante reflectir não só sobre a dialéctica foco vs. bastidores, mas também sobre o que queremos vs. o que esperam de nós, ser vs. parecer e todas essas dicotomias. Mas não sei se era pelos cenários estarem constantemente repletos de tudo, de haver muito ruído visual e outras tantas pontas soltas que o filme não me ficará na memória. Isso ou o facto de estar toda arrepiada e a contar os minutos para ir para casa e assentar arraiais em frente do aquecimento.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Estou confusa



Há semanas (meses?), talvez desde o início do ano, que tenho sonhado muito. Todos os dias. Vários sonhos e todos com contornos muito reais. Só para terem uma ideia, pelos sonhos, já teria defendido a tese duas vezes. Nada de muito espectacular, nada de muito demoníaco. A vida tal como ela é. Não acordo cansada, mas também não me lembro de tudo. Mas depois fico confusa quando me deparo com situações semelhantes ou consequentes de sonhadas... Já não sei se sonhei ou se aconteceu mesmo. Nada de grave, mas estranho. Hoje foi o segundo dia consecutivo com essa sensação.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

10 anos - 10 posts


Andava aqui a pensar no que poderia fazer hoje para comemorar a efeméride. (Tenho imenso tempo livre para me dedicar a estas coisas, está visto!) À falta de uma festa com bar aberto, fiz uma selecção de uns 10 posts (são mais, eu sei) destes últimos anos. Poderiam ter sido outros, mas foram estes que sairam na rifa!

2005: Frustrações
2006: C.C.C.: Cadela Com Cio, a explicação e a saga
(este é da outra chafarica, mas umas palavras que me sairam muito bem: Matematicamente)
2007: Os Historietos também lá do outro lado
2008: 'Tou que nem posso
2009: As coisas mais ridículas do mundo
2010: Fechado para desenvolvimento pessoal da gerência
2011: Blogonovela e O homem da minha vida
2012: Prognósticos?! Só depois do jogo II
2013: É fácil encontrar-me
2014: Ramalhete




E assim surge mais um blogue que tem tanto de inesperado como de utilidade


Estas foram as primeiras palavras do Mergulhos.
Achei que 10 anos depois o autor das mesmas - não, não fui eu - deveria voltar a presentear os dedicados leitores com o ar da sua graça. Ele não se mostrou muito palavroso, deixando escapar
que não tinha nada para dizer.
Conclusão: Ainda bem que assumi as rédeas disto sozinha!

10 anos a mergulhar


Sem vocês isto não fazia muito sentido.
Sem mim menos ainda!
Estamos bem uns para os outros :)
E só se estraga uma casa.
Obrigado!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Almofariz 6

Já não vivo em Lisboa há 12 anos e há 12 anos não ia tantas vezes jantar fora nem beber uns copos como sucede actualmente. Nessa medida, o que conheço de Lisboa é vergonhoso e as poucas memórias que tenho estão muito empoeiradas.
Assim, quando volto a casa para visitar família e amigos tento conhecer sítios novos, giros, cosmopolitas que me provem que Lisboa não ficou trancada numa gaveta da memória encravada e exalando naftalina.
Dependendo da companhia, esta pode ser uma missão complicada... mas a minha sorte é que tenho também bons amigos e bonvivants que me vão mantendo ao corrente.
Isto tudo para dizer que fui parar ao Pub Lisboeta e confesso a minha admiração pela fauna que lá vi. Afinal há gajos giros, bem apessoados e com ar saudável em Lisboa! É de sítios assim que eu preciso de ir. Segui viagem para o Atalho Real. Na verdade, sem querer uma hora antes tinha ido visitar o Edifício da Embaixada - que bela surpresa - sem saber que o jantar estava marcado lá para a cave. Comida boa, serviço de primeira, espaço simpático. Só me queixo do tamanho das mesas, pois quase tínhamos de levantar a voz e/ou debruçarmo-nos em cima do tampo para falar com os compinchas do outro lado. 
Um serão cinco estrelas é o que vos digo!

Neve a potes

Ontem quando cheguei a casa, o jardim já estava todo branco. Hoje quando saí continuava todo branco e a passadeira / corredor de passagem não se via. Estava a nevar e com ar de que já nevava há muitas horas. Não parou de nevar o dia todo com direito a rajadas de vento, o que me fez pensar e especialmente sentir que vento e neve é uma combinação mortífera. Parecia uma tempestade de areia em gelado mas a queimar na mesma. É uma sensação péssima. Como devem imaginar só tinha a cara de fora... Agora ao regressar a casa, fiquei pasma com a neve acumulada no jardim. A passadeira não se distingue do resto. Há partes com mais de 50 cm de neve... Nunca vi isto assim.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Então o que andaste a fazer por Lisboa, Maria Calíope?

Pois que...
- fiz couscous com beterraba para o aniversário do meu pai;
- fui a uma festa de uma publicação da cidade;
- visitei a casa nova de uma amiga;
- cozinhei em casa de outra (arroz de bacalhau e tapioca com leite de coco e frutos vermelhos);
- "fartei"-me de conduzir o nosso toyotinha clássico;
- comprei quatro pijamas nos saldos, remodelando todo o meu stock actual;
- vi a minha mãe a esfregar-me Vic's nas costas (perguntando-me se não arranjo quem mo faça o mesmo em Viena);
- cortei o cabelo (muito!) e fui à pedicure;
- tive uma "reunião" no Centro de História e vim de lá com cerca de 10 livros e mais 2 dvds
(pois a páginas tantas já dizia "Olhe, isso é tudo muito interessante, mas eu só posso levar 23kg... Prefiro levar 2 garrafas de vinha em vez desse livro");
- mesmo vendo intermitentemente, consegui acompanhar as telenovelas da TVI - Jardins Proibidos e Mulheres - não distingo bem as personagens, mas considero conferir online o que aconteceu à exumação do cadáver da Emília Ávila;
- descobri sítios (bares, restaurantes, cafés,...) giros, com gente gira, urbana e desempoeirada;
- fui ao cinema;
- fiz risotto de abóbora e o meu pai repetiu;
- ouvi "É uma pena não viveres em Lisboa, faríamos uma dupla imbatível!";
- brinquei com crianças;

Tirando isso, foi sempre andar encolhida, arrepiada e cheia de frio! 

Acabaram-se os posts congelados!

Já cheguei a casa...

Daqui a pouco já há Ameijoas à Bulhão Pato a fumegar!

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Pés no chão (24)


E cá está mais chãozinho de Viena, um percurso que faço uma vez por semana de regresso das massagens!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

O tempo passa mas eu continuo a mesma!

Ia ali a subir as escadas rolantes da estação do Oriente, quando vi uma cara conhecida na escada rolante paralela. Nuns quantos segundos, apercebi-me de quem era e foi só chegar à plataforma para me dirigir ao senhor. Era nada mais nada menos do que Carlos Vaz Marques! Certifiquei-me primeiro que era mesmo e depois lá lhe disse que gosto muito do seu programa e que o vejo religiosamente, tendo inclusive posto os meus alunos a ouvi-lo.
O senhor é tal e qual o que é servido no programa: simpático, bem humorado e de raciocínio rápido! Infelizmente eu é que não tive presença de espírito suficiente para lhe sugerir um Governo Sombra em Viena, munindo-o do meu cartão de visita!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

4 de Fevereiro

É sempre dia de comemoração!

Pés no chão (23)


A semana passou em passos largos e se calhar seria uma boa ideia começar já a pensar no regresso para Viena. Aqui o chão do Magistrat do 6º distrito!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Corte de cabelo

Desde pequena que detesto ir ao cabeleireiro por motivos vários. Nas últimas décadas restringi as idas às vindas a Lisboa, exceptuando-se uma incursão lá mesmo em Viena. Normalmente é cortar as pontas, dar um jeito ao corte, nada de muito drástico. Mas hoje não. Levei aquelas fotos que vos mostrei e disse que era para cortar... curto! E assim foi. Eu assegurei-me de que me ficava bem com o meu tipo de cabelo e formato de cara e que no pior dos casos, ele voltaria a crescer.
Ainda estou em fase de habituação, mas acho que ficou bem!

Pés no chão (22)


E terminamos a sequência Barcelona num ponto alto e com o sol a brilhar: a fortaleza de Mont'Juic!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Ambiente familiar

Estou a trabalhar em casa.
A minha mãe revolveu pôr a tocar o concerto de ano novo da filarmónica de Viena.
Não percebi se era para eu me sentir mais em casa!

Pés no chão (21)


Assim de repente não me ocorre outro quarto de hotel onde tenha estado com varanda. E este mosaico faz-me lembrar um filme norueguês: Appelsinpiken - se bem me lembro no original - (The Orange Girl)... acho que era Sevilha, mas este chão merecia uma história daquelas... cheia de laranjas! Mas estamos no 2º melhor mês do ano. Aqui comemora-se o mês de Fevereiro - eu sei que já começou ontem -. Já me conhecem há tempo suficiente para saber o que eu aprecio o pequerrucho Fevereirinho!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Pés no chão (20)



E enquanto ando eu a ramboiar por aí, há ainda muito chão de Barcelona para mostrar, afinal, palmilhei quilómetros!