segunda-feira, 17 de março de 2014

Inventário de vocábulos XVII

Nunca me tinha apercebido que ídolo e ícone poderiam estar relacionados, nem sequer desconfiava da origem grega das duas. Eu sabia que deveria ter tido aulas de grego na escola... não percebo como é que as eliminaram do currículo. Mas então, Colónia também serviu para me dar a conhecer


eidolón e eikón 

Mary Cassatt, Young Woman Reading

(lamentavelmente não sei escrever isto em grego porque grego não era oferecido na minha escola).
Ícone enquanto palavra nunca se me afigurara como grande coisa, talvez por associá-la a um simbolozeco de trazer por casa. Já ídolo reporta-me ao boi (bezerro?) de ouro do Antigo Testamento, daí imaginar qualquer coisa de maior grandeza.
O certo é que é precisamente o contrário. Um ícone fica. Um ídolo passa. O ícone é perene. O ídolo é temporário. Genial, não é? De repente fiquei a ver o mundo ao avesso e gostei!

Sem comentários: