domingo, 16 de março de 2014

Colónia

Nos últimos dias não sei quantas vezes entrei e saí deste edifício. Foram vezes suficientes para só ter conseguido ir passear pela cidade uma vez - ontem de manhã. Pensando bem, há anos (décadas) que não passava tanto tempo consecutivo na Universidade. Mas não houve um momento em que me tenha aborrecido. Quer dizer, houve quando um dos palestrantes em vez de falar os 20-30 minutos supostos, duplicou o seu tempo - einfach so - não dizendo uma frase concreta e que se percebesse. E ainda numa outra palestra já na parte da discussão a palestrante diz qualquer coisa como "Portugal, Brasil e os outros países de língua oficial portuguesa. Eles são tantos que eu não os sei de cor...". A credibilidade dessa pessoa que já não era grande coisa antes acabou nesse preciso momento. Tirando estes dois momentos, tudo o resto foi óptimo. Palestras interessantes, discussões vivas, pausas para cafés animadas, conversas de corredor, jantares intermináveis, etc. etc. etc.
Não querendo cair em exageros, mas julgo nunca ter estado numa conferência tão boa onda: onde toda a gente falava com toda a gente, fossem alunos fossem catedráticos. Eu estava a sentir-me tão bem que para além da minha própria intervenção, levantei a mão umas quantas vezes para comentar e fazer perguntas, coisa que um bicho-do-mato como eu nunca tinha feito assim em público. Revi imensa gente conhecida, conheci uma mão cheia de gente interessante e bons contactos para o futuro e modéstia à parte julgo que causei boa impressão aos convivas!

Sem comentários: