domingo, 31 de outubro de 2010

Últimos cartuchos de Outubro

Parece que está cientificamente provado que o excesso de escolha traz a infelicidade. Eu costumo ter dificuldade de fazer opções, mas também quando convicta nem pestanejo. Por isso e por ora prefiro B.

Por mim o fascinante Outubro continuava por mais três meses, mas parece que acaba hoje, mas vá lá, pelo menos rendeu uma hora extra.

sábado, 30 de outubro de 2010

Status Quo

Isto de ter uma vida e um blogue começa a ser problemático especialmente num Outubro cujos fascínios não me param de surpreender. E a passos largos e com muita pena do final, não posso deixar de abordar a temática "efeito-surpresa". Sabia que hoje estaria na Irlanda, mas não sabia que às vezes é bom não termos o controlo de tudo. Eu sem rédeas na mão, sinto-me perdida. No entanto, se do caos sai a ordem é depois de nos perdermos que nos encontramos. Ainda não cheguei lá, mas estou a caminho.

63º momento cultural

Como já tinha dito no outro dia, levei a criançada ao cinema. Guerra Civil de Pedro Caldas foi o eleito com o próprio realizador disponível  para responder às perguntas do público no final do filme. Guerra Civil acaba por ser um título enganoso à primeira que se mostra bastante mais metafórico e adequado ao longo do filme. Falta de comunicação entre pessoas leva a uma guerra civil. Eu gostei.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ai! O que seria de mim sem vós? ;)

Maria Calíope agradece:
Mãe, Caju, Carlos, Pai, Susana, Renata, Leonor, Frouckje, Tia Dina, Borbi, Ana (E.I.), Inês, Miguel M., Silvia, Filipa, Nuno Gd., Antonyia, Mónica B., Gwen, Claudia B., André, Dulce, Pedro S., Edina, Branko, Asja, Tia Joaquina, Artur, Kevin, Célia, Gimli, Lena, Rosanne, Daniela (Lux), Carla (fac), Sílvio, Marco (primo), Verena, Daniel (muchacho), Anna A., Michi, Pedro (Beta), Filip, Iva, João, Rita (Jordan), (Carla) Sofia, Beta, Sandra, Andzelika, Magda, Tio Chico, Pau, Stephi, Paco, Astrid, Sónia, John, (Marga)Rita, Bruno (Serra), Els, Virginie&Ingo, Estela, Anissa, Ziva, Luís (Teixeira), Tânia, Paula&Ricardo, Paulo (Camb), lampâda mervelha, Lucía, Estela, Inês (Springfield), Pedro (Quaresma)

E aos meus alunos (antigos, presentes, aqueles que nunca foram mas que andam por lá no curso e me conhecem): Burgi, Helena K., Carina, Miguel, Martina, Patricia, Yolande, Juliane, Ana Margarida, Juliana, Philipp, Magdalena; Kerstin

E um especial agradecimento à Els e à Leonor que não me deixaram jantar sozinha.

 Adenda (28.10.2010) Pessoas noutro fuso horário ou que simplesmente têm outras prioridades na vida:
Raquel,  Nélson, Ana Cláudia, Alice, Manuela, Marta, Melanie, Ronald.

Já ganhou!

O pior telefonema do dia... alguma semelhança com este não é pura coincidência:

Tia: Parabéns! Quantos anos fazes?
Calíope: Obrg, 32!
Tia: Então a Caju (a minha irmã) já arranjou corda para enforcar, só faltas tu.
Calíope com o estômago a dar voltas.
Tia: Vá tens de arranjar uma corda para ti, vá, os teus amigos? Não tens amigos? Não tens colegas?
Calíope a pensar que na imensidão de gajos que há em becos manhosos e possivelmente ainda mais que gostariam de ter um passaporte europeu.
Tia: Quando é que vais arranjar uma cordazinha para ti?
Calíope: Nunca!
Tia: Não pode ser... Vais ver que vai aparecer alguém. Ainda este ano. Um príncipe encantado.
Calíope a pensar se não podia ser um Zé Tolas qualquer, é que principes encantados devem dar imenso trabalho a passar o lustro e cá em casa já há uma diva: Eu. E não há paciência para choque de egos.
Tia: Tens de ver nos teus colegas e amigos.... vá arranja lá alguém...

Desliguei o telefone e mandei um e-mail à minha mãe a dizer que para o ano não atendo a chamada da minha tia. Não tenho paciência para o impingimento de perspectivas de aspirantes a donas-de-casa.

Comecem as celebrações!


Ao fim de longos e alguns penosos dias dos 365 passados, cá está ele de novo!

A partir de agora faço anos oficialmente!

Aviso já que vou estar ainda mais insuportável, sensível e magnânima que nos outros dias todos... Mas pronto é só hoje, deixem-me, vá! :D

terça-feira, 26 de outubro de 2010

62º momento cultural

A primeira longa metragem de João Nicolau esteve cá na Viennale e eu lá estive. Os 142 minutos do filme permitiram-me quase adormecer duas vezes e reflectir sobre uma série de coisas sobre a vida em geral e a minha em particular. A Espada e a Rosa vale essencialmente pelos primeiros 10 a 20 minutos, o resto é bastante desconexo. Muita informação gratuita sem seguimento.
De qualquer modo, o bilhete para o ingresso numa sala de cinema fantástica consistiu na minha primeira prendinha deste ano. Eu não fazia ideia que as minhas alunas sabiam que eu estava quase a fazer anos. Valeu mesmo!

Pavilhão do Futuro


Ontem numa aula e a propósito de um texto sobre a Expo'98, eu comentei com os alunos que lá tinha trabalhado. Houve uma alminha que me perguntou completamente atónita:

"Tu trabalhaste na Expo em 1998?"

Sim, salvo erro foi o meu primeiro emprego. Ele continuava estupefacto a olhar para mim, como que dizendo, mas pode-se trabalhar em Portugal com 9 anos?!! Vá... 12?

Eu ri-me e não consegui sacar-lhe quantos anos é que ele achava que eu tinha... mas também não disse que amanhã serei um ano mais velha e décadas mais sábia.


Este fascinante Outubro anda-me a trocar as voltas todas é o que é...

Carimbos


Poucas ou raras são as pessoas dos meus círculos que levam logo à partida o carimbo de qualidade superior. Neste caso, receio mais que o laço se desfaça do que o carimbo esborrate. Seria uma perda para o meu desenvolvimento intelectual.

domingo, 24 de outubro de 2010

Cooler than me

O meu egocentrismo roça, se é que não ultrapassa mesmo, todos os limites possíveis. Mas o que querem? Eu sou importante para mim. Agora, surpresa, surpresa é quando descubro pessoas muito mais cuis (é o plural de cool e fui eu quem o inventou) do que eu!
E até vai uma musiquinha a propósito!

Como é que eu adivinhei que este Outubro seria fascinante? Já conto com 26 confirmações para a festa e é nesta animação que entramos na recta final do fascinante Outubro!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A vida continua

e nada como um blind date para animar as hostes. Se correr bem ponto para mim, se correr mal dá para pôr meio mundo a rir. Siga!
E seguiu mesmo!
O senhor que se seguia teve a fantástica ideia de se identificar desta forma: sou alto, magro, vestido de preto (e eu já estava a ver aqueles tipo góticos muito pálidos que só apetece dar dois pares de estalos a ver se ganham um bocadito de cor, mas não, toma lá cereja em cima desta já promissora descrição:), tipo taliban.
A minha ideia de taliban não é a mais apelativa do mundo, mas tínhamos já combinado ir jantar e verdade seja dita que o senhor teve a pontaria de me ligar ontem no preciso momento em que eu estava a digerir o facto de ter sido assaltada... e levou com esse rosário de queixas. Passado meia hora mandara-me um sms a perguntar se eu precisava de alguma coisa. Podia ser taliban, mas tinha primado pela simpatia.

Hoje, acho que não houve um assunto de parte a parte que tivesse chegado ao fim, pois os parentises e os apartes sucediam-se.

Convidei-o para os meus anos :)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Toma e embrulha!*

Eu

que exalto as maravilhas de se viver no centro da Europa, mais concretamente em Viena,
que apregoo aos quatro cantos do mundo a qualidade da rede de transportes da cidade,
que difundo o ambiente seguro vigente,

 fui assaltada no metro

no período entre duas estações.

Podiam ter levado
o meu estojo novo verde com o gravador lá dentro
o meu tupperware mais fundo, com tampa verde e sopa de abóbora
a minha caixa do aparelho
a minha agenda com um elástico e uma borboleta almofadada
o meu livro de linguística alemã
o frasco de gotas para os olhos (que não combina com nada)

mas não

foi a velha carteira com a meia vida minha lá dentro.

Estou triste.
Mas antes a carteira que uma doença ou um dedo partido.

*Volta e meia quando vou à Baixa em Lisboa, ocorre-me que posso ser assaltada... e acabo por deixar metade dos meus valores em casa antes de sair...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Proposta indecente

Eu costumo dizer por força do hábito que sou professora, mas na verdade deveria dizer que sou uma musa do demo. Ora, de manhã logo pela fresca, mandei um e-mail aos meus aluninhos todos com a seguinte questão: preferem ter aulas ou ir ao cinema? Para não parecer uma coisa assim tão óbvia ainda disse que o filme tem tudo a ver com as nossas aulas (as 3, claro!) e que depois poderão falar ou pelo menos ouvir o senhor realizador.

Como é que se vê logo que sou eu? *

Eu já comprei o meu bilhete e viva a Viennale!

*Porque devo ser a única pessoa do mundo que ainda escreve no quadro com giz.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Mais um casamento


e a não ser que algo aconteça até Agosto do ano que vem
(acho que as probabilidades de acabar a tese em tempo record são estonteantemente maiores)
mais um casamento aonde irei desemparelhada.

Começa a ser (ok, sempre foi) muito chato (tirando o de Málaga)

domingo, 17 de outubro de 2010

The Importance of being Ernest

Frey Wille

... or modest...


Mais 10 dias e o fascinante Outubro chega ao seu pico!

sábado, 16 de outubro de 2010

Casa-museu

Salvador Dali, Les Elephants

Apesar de haver correntes que designam a minha sala de aquário, eu acho que a minha casa tem mais o aspecto de loja e para isso nem é preciso passar da entrada. Chapéus, malas e sapatos para mim e mais mil. Felizmente tenho não só pé, mas também cabeça de Cinderela, logo, os meus pertences não servem a praticamente ninguém. Mas entretanto devo estar inconscientemente a tentar tornar a casa num museu. Além do Soleil Levant, pendurei hoje também esta delícia de Dali e ainda não sei onde pôr a Torre de Babel de Brueghel. Noutras paredes e noutras dependências, há mais arte :)

Ponto alto do dia

Claude Monet, Impression - Soleil levant


Em breve numa parede perto de mim.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Aulas da vida

Depois de tanto apregoar, cá chegou o primeiro dia de aulas da faculdade. Eu de fato e salto, claro. Desta vez de mochila, pois o meu computador numa mala é capaz de me entortar mais a coluna. Alunos novinhos em folha e cheios de vontade de aprender. Ou então são os meus olhos! E eu prezo preparar a criançada para a vida real, por isso, em vez disto:

ensino coisas como estas:

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Dias bonitos

Os últimos dias têm sido tão outonais, tão soalheiros, tão dourados que eu poderia passar o dia todo no escritório de óculos de sol. Tanto raio imprime em mim tanta energia (devia era abastecer-me para o Inverno que aí vem, bem sei) que ando eléctrica, sorridente e iluminada do género de pôr-me a experimentar o magnífico traje para a grande festa depois da meia-noite enquanto danço ao som disto ou também disto. (Com esta, Francis, lá se vai o tacho de Paris). Ir a dois jantares em vésperas do início efectivo das aulas da faculdade, andar a fazer entrevistas à maluca e pelo meio preparar e dar aulinhas claro está. Com estas andanças ficaram 3 provas por corrigir. Paciência!

Mas dias iluminosos activam no meu cérebro memórias radiantes e já em tom de balanço, houve duas frases no último ano que tiveram em mim grande impacto. Do meu amigo muchacho que na Ópera me disse que eu era uma pessoa muito estética. Da minha amiga dos beijos saudosos que a propósito de uma tirada minha acerca do PIB da Eslovénia comentou que eu era inspiradora. Se calhar nem um nem outro queria dizer o que eu percebi, mas há coisas de que eu não me esqueço. :)

O fascinante Outubro continua e hoje contou cerca de 60 convites enviados.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Em cima do salto XV

Acabei de ouvir o Carlos do Carmo a dizer isto:

A minha vida é um espelho de inquietações


Elena Feliciano Yellow Roses Stiletto

Eu achei genial!
Mas acho que a minha é mais um espelho com reflexos inquietos!

domingo, 10 de outubro de 2010

60º e 61º momentos culturais

Ontem foi noite de jazz e do com travos dos Balcãs! Bom, animado, que nos faz dançar na cadeira. Era um trio búlgaro (órgão, trompete e uma espécide de bateria), simpatiquíssimo e super bem-disposto. Melhor ainda: divertidíssimos com o que estavam a fazer o que resultou numa música ainda mais cativante. Não me lembro do nome deles, mas na próxima actuação lá estarei!

Brahms Saal

Hoje foi serão lá no Musikverein. Estilo completamente diferente: Parket Quartet, que é como quem diz um quarteto de cordas, três violinos e um violoncelo. É um outro ambiente e enquanto disfrutava da música, ia apreciando a belíssima Brahms Saal e pensando na minha agenda desta semana.

Mergulhos bilingues XII

Narciso

Duas entrevistas feitas! (só faltam quarenta e tal se não aparecerem mais pessoas) Eu bem digo que pelo Natal, a este ritmo, tenho a tese despachada! Mas mais impressionante do que as respostas ou a disponibilidade dos meus entrevistados, no caso, entrevistadas, estou maravilhada com a minha voz! :D
Acho que passei ao lado de uma grande carreira de locutora de rádio! Só os visionários senhores da Austrian Airlines é que tiveram bom ouvido para requisitar a minha voz para que gravasse aquelas mensagens bonitas que os passageiros ouviriam... se houvesse voos AUA para Lisboa ou Porto.

sábado, 9 de outubro de 2010

Rescaldo do Portugal-Dinamarca

Soube por fontes pouco fidedignas que a tese de doutoramento de Maria Calíope passou a ser assunto de intervalo de jogo de futebol no único bar em Viena que transmite a SportTV... Já estou mesmo a imaginar...

- blablabla doutoramento blablabla
- Ah! Tu também estás a fazer o doutoramento?
- Não, não, livra! Estou é a colaborar no trabalho duma gaja.
- Qual gaja, meu?
- Epá não sei. A gente só se falou por e-mail, mas chama-se Calíope!
- Ah! Eu também...
- E o Zé Tolas também e o Chico João e a ...
- Eh pessoal! Quem é que respondeu um questionário?
- Sim, sim, mas aquilo é para quê?
- É para a tese dela... sobre a comunidade portuguesa na Áustria...
- Ah ok... Mas vamos lá ao que interessa, a gaja é boa?

ahahhahahahahahahha

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Estudante profissional

Acho que devia haver a profissão "estudante" e não me estou a referir às pessoas em idade estudantil que estudam (ou não) ou àquelas outras que se arrastam ao longo dos anos pela faculdade e ao fim de 5 já conseguiram fazer duas cadeiras.
Inscrevi-me num destes últimos dias na única aula que encontrei no horário que queria: sexta-feira às 8:30. Curiosamente a aula é de Linguística Alemã. Hoje lá fui eu para a faculdade cedíssimo, sim porque para estar no escritório não consigo acordar tão cedo. Fui de óculos, ténis e uma mala a tiracolo para me enturmar melhor com o espírito da coisa. E às 8:20 havia cerca de 150 pessoas na escadaria entre mim e a porta.
O anfiteatro estava lotadíssimo, com pessoas sentadas nas escadas, no chão, encostadas à parede...
O professor não pôde vir, mas mandou um assistente que passou a aula a fazer uma introdução ao maravilhoso mundo da linguística à criançada e a rir-se das suas próprias piadas. Fez-me lembrar o meu primeiro ano da faculdade. Eu estava deliciada e saí de lá radiante, mas direitinha para o escritório.

O que me aborrece nisto tudo é como é que eu nunca me lembrei antes, em quase 8 anos de Áustria, que devia voltar a frequentar aulas?

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Hora de atendimento

Um miúdo Erasmus espanhol ficou de vir falar comigo hoje porque queria fazer a minha aula de Cultura mas não sabia bem se tinha tempo ou uma aula sobreposta...

Ele bate à porta e eu dou de caras com uma aparada cabeleira ruiva :D (Recompensa? Motivação?)
Maria Calíope respirou fundo e não só o convenceu a fazer a aula de Cultura como também as outras duas que ministra. Três palavras em catalão e estava tudo resolvido! E ele bem mandadinho já se inscreveu (acabei de o confirmar nas listagens oficiais).
Realmente, há coisas que nunca mudam.

Entretanto também eu fui à hora de atendimento do meu professor e é já para a semana que começarei com as maravilhosas entrevistas... As conversas com ele começam a ser mais produtivas... mas não gostei muito da ideia de transcrever foneticamente... TUDO!
Amadeo Mondigliani, Young man with red hair

O fascinante Outubro continua em contagem decrescente: faltam 20 dias!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

No reino das situações do arco da velha

Estava eu sossegadita a trabalhar e toca o telefone.

- É a Frau Calíope?
Calíope: Sim.
- Estou aqui à sua porta com uma encomenda...
Calíope: Mas eu não estou em casa...
- Fala inglês?
Calíope: Sim...
(em inglês) - Então eu vou deixar isto aqui...
Calíope: Mas porque é que não deixa nos correios? Que encomenda é? Não havia aviso nenhum? Pode vir entregar no meu escritório?
- Vou deixar aqui nesta tasca ao lado...
Calíope: Mas... mas...
- Eu só posso fazer entregas nesta freguesia... Aponte aí, a tasca chama-se XXXX.
Calíope (sabia perfeitamente qual era a tasca, mas a tentar compreender a situação): Mas se eles não aceitarem, ligue-me outra vez sim.

A tasca ao lado é duas portas ao lado da minha a que eu chamo carinhosamente de clube de fãs! Os senhores que a frequentam e lá trabalham acenam-me sempre que eu passo, lançam um "Gruss Gott!" e há um que eu encontro aos sábados no supermercado e que se oferece sempre para levar as minhas compras e depois pergunta-me se as flores são para ele... Nunca lá entrei.

Foi hoje:
Calíope: Olhe, desculpe, mas acho que vieram entregar cá uma encomenda...
Aramis (não é Aramis, o senhor cozinheiro/empregado, mas eu acho que ele tem ar de mosqueteiro): Sim, sim...
Calíope: Eu lamento imenso, mas eu nem sequer sei o que é... não estava à espera...
Aramis: Acho que é um fato de dançarina go-go!
Calíope (entra na brincadeira): Ah! Então é mesmo para mim. Traga lá isso!

Eu não me tinha apercebido que estava a tasca toda a ouvir e que por conseguinte desatou-se a rir! O Aramis lá me trouxe o caixote, eu agradeci e fui direitinha para casa.

Finalmente consegui fazer qualquer coisa com as minhas milhas da Miles and More... que não fosse deixá-las caducar, troquei-as por uma mochila Go Go!

Grande flop*

Resumo resumido: Foi mais blind do que date. Melhor ainda, completamente blind e sem date.

Chamem-me de esquisitinha, quero lá saber:

Um tugo-tipo já era arriscado (mas eu estava a fingir que não era preconceituosa), também ignorei "peço" com ss e "flexibilidade" com acento (no fle), mas agora metro e meio NÃO! Dentes da frente tipo coelho gigante e todos os outros atirados assim ao calhas para dentro da boca (eu quase que pedia desculpa pelos meus dentinhos lindos e direitos terem um aparelho...). E um intenso cheiro de perfume que conseguiu ultrapassar todas as barreiras existentes e conhecidas das minhas fossas nasais...


Pagou a conta, está bem, e acho que era capaz de ser simpático, mas o conjunto todo fez-me querer descalçar a bota o quanto antes!

Vou esquecer isto e elegantemente mudar de assunto.

* E não estou a falar de póquer...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

5 de Outubro de 1910

Em dia de centenário da república, eu fiz o pleno:

- fui para a empresa despachar o grande projecto que me tem ocupado nas últimas semanas e cujo roll-out é amanhã;
- saí em corrida para a faculdade corrigir as provas de admissão. E claro que tinha de haver semi-confusões com as provas de português, caso contrário não se justificava a minha presença;
- voltei à empresa para dar conta do daily business e nos entretantos ia respondendo os mails dos meus queridos compatriotas wanna-be-my-informantes;
- segui apressadamente para a escolinha, pensando pelo caminho que este é o último curso que vou dar, porque já não tenho estofo para isto. (no meio da aula já nem me lembrava que estava cansada).
- por fim ainda dei uma aula privada.

De há uns tempos para cá tenho pensado na causa monárquica com mais consideração... mas acho que hoje se conseguir dar com a minha cama é um milagre!

E meio sem querer acho que amanhã há (blind) date!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Feliz contemplada!

Ia falar hoje do regresso às aulas da faculdade, mas na verdade não tem interesse nenhum face ao que posteriormente me aconteceu.

Aproveitando o intervalo entre a faculdade e as aulas da escolinha, dei um salto a uma bilheteira pois queria tratar das entradas para os Deolinda que cá vêm ao burgo.

Entrei no espaço onde estavam quatro guichets a funcionar cada qual com seu cliente, duas pessoas à espera e eu logo a seguir. Nada de especial.

Uns 5-10 minutos passados estavam mais 8 pessoas atrás de mim. Continuava a não ser nada de especial, mas realmente as pessoas alongavam-se na escolha dos seus bilhetes, pois só o primeiro tipo da fila é que se movimentara no sentido de ser atendido. E eis que começa algo de especial.


Aparece descendo as escadas uma rapariga com um tabuleiro com flutes de champanhe com e sem sumo de laranja para as pobrezinhas das pessoas na fila de espera (no máximo estávamos lá há 10 minutos). Eu estava incrédula... porque até se tratava de uma bilheteira bastante descontraída, nada de Staatsoper ou coisa que o valha. Mas as coisas especiais não se ficaram por aí. Dois minutos passados e aparece uma outra rapariga com um cestinho com rifas!!! Eu tirei a rifa verde onde constava "GEWONNEN", ou seja, 12 minutos de espera depois e em vez de desesperar, tornara-me numa feliz contemplada de bilhetes duplos para um concerto de jazz nessa sala aí acima...

Não consegui comprar os bilhetes pois ainda não estão à venda. Pronto, não correu tudo bem. E devem ter sido uns 20 minutos entre a entrada e a saída.

(A minha vida em Viena é melhor do que muitas outras vidas conhecidas em demais cidades familiares. Se sou arrongante por dizer isto? Até posso ser, mas ninguém me convence de que não tenho razão.)

O fascinante Outubro continua: já há convites, falta a lista de convivas :)

domingo, 3 de outubro de 2010

Compras chatas

Informação sobre um assunto delicado:

Calíope: Olá! Preciso da tua ajuda!
Colega: Oh não! Diz lá...
Calíope: Olha preciso de comprar... ai como é que se chama... aquilo, assim, tipo, sabes, para guardar informação, ai, agora não me lembro do nome...
Colega: Hmm... tens de ser mais específica...
Calíope: Não é uma pen, é maior... acho que é placa, deve ser isso, uma placa externa para guardar informação! Ah! É disco externo!
Colega: Ah! Ok... Há agora uns com um tera de capacidade e são super rápidos e dá para sincronizar...
Calíope: Há em verde?
Colega: An?
Calíope: De que cores é que há? Não precisa de ser assim tão grande, mas eu gostava que fosse verde!!!

Na loja (indicada pela colega):

Calíope: Bom dia! Queria comprar um disco externo blá-blá-blá...
Empregado: Sim, temos aqui...
Calíope: De que cores tem?
Empregado: Preto, vermelho, azul e branco.
Calíope (perdida de riso): Que azul?
Empregado: Eu mostro-lhe...

Acabei por trazer um preto piano, lindo, lindo, só espero que funcione também (para já não sincroniza nada) e que lhe desencante um estojo verde... para combinar com a caixa do aparelho!!!

sábado, 2 de outubro de 2010

59º momento cultural

O meu parisiense preferido está desde ontem em Viena e, claro está, eu não perdi tempo em ir visitá-lo: Rodin und Wien. Claro que sabe a pouco para quem já esteve na casa-museu Rodin. Mas uma visitinha destas aviva-nos sempre as memórias. Como bónus ainda consegui ver o Schlafende Schönheit (bela adormecida) no seu último dia de exposição.


O fascinante Outubro continua e já há local marcado para a grande festa.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Fascinante Outubro

Ei-lo de volta: o mais aguardado mês do ano. Este Outubro começa de uma forma bastante promissora: comigo a falar "esquisito" (=meio sopinha de massa, meio cuspe descontrolado!) :D


Como vêem, o mês promete. Para já as actividades planeadas são mais do que muitas e tudo regado com muito trabalho. Mas assim é que tem de ser :)

Porque é que não há mais Outubros por ano?