sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Mega-rave-sun-dance-parade-party-mix

Keith Mallett, At the top


Sempre achei que as minhas festas eram grandes eventos sociais. Sempre achei isso porque afinal sou mais do que egocêntrica. Mas afinal, olhando para umbigos alheios, apercebo-me do que as minhas festas são muito mais do que festas, ao longo dos últimos anos têm adquirido um contorno de blind-date (não para a aniversariante).
Em 2007 em Viena, foi um colega eslovaco e uma conhecida búlgara convidada à última da hora porque era room-mate de uma amiga minha. Ontem fui visitar o primeiro rebento de mês e meio que chorou a bom chorar assim que se viu no meu colo.
Também ontem soube que afinal a festa de 2008 em Lisboa também foi bastante frutuosa. Parece que a minha colega da preparatória e o meu colega do antigo curso de alemão do Cambridge se entenderam melhor do que seria esperado…
A minha festa 2009 é hoje. A ver vamos quem serão os emparelhados de hoje!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A diva agradece...


Pai, Mãe, Nita, Carla (prima), Susana, Frouckje, Tia Dina, Anna (Madsen), Silvia, Renata, Carlos (Gimli), Leninha, Marco (primo), João, Carla (fac), (Carla) Sofia, Carlos, André, Nuno (Trader), Magda, Stephan, Francesc, Kevin, Monika, Antoine, Filip, Judith, Claudia, Branko, Mónica, Miguel (Mateo), Raquel, Anissa, Francis, Simon, Franco, Asja, Juraj, Pepe, Ana (Soares), Pedro (Santos), Emílio, Adriana, Daniel (muchacho), Sílvio, Miguel (8ºD), Tânia, Elena, Maria, Rosanne, Anna (Auer), Marco (Homberg), Ziva, Rita (Jordão), John, Gwen, Dora, Beta, Tia Joaquina, Dulce, Paulo (Cambridge), Paco, Estela, Isabella, Cipereira, Pedro (Quaresma), Sandra, Sónia (ex-Carlos), Rita (Borgas), Iva, Lucía, Ana Cláudia, Gisela, Martina, Lena, Peter, Luís Francisco, Vítor (primo), Célia, Cristian.


Retribuo-vos com uma vénia!
Keith Mallett, Soul's Awakening

terça-feira, 27 de outubro de 2009

O 31!



Keith Mallett
Celebration
Quando o presente dia for igual a qualquer outro dia do ano algo estará muitíssimo podre no Reino da Dinamarca....

Parabéns a mim que faço anos! E que este seja um grande 31!
Keith Mallett
Soul's Flight

Telefonemas medievais

Este é o resumo de 3 minutos e 27 segundos de conversa/monólogo. (Possivelmente o telefonema mais curioso do dia)


Tia: Parabéns!
Calíope: Obrigado.
Tia: Quantos anos?
Calíope: 31
Tia: 31?!! E não arranjas um pretendente? É que os anos vão passando… Mas tu não tens amigos? De certeza que tens pretendente… Eu quero comer bolo e daquele grande… Vê lá se não arranjas alguém. É que o teu pai e a tua mãe querem um netinho… Tu tens amigos de certeza. Vê lá… O tempo não pára e depois…
Calíope: Todos os anos me dizes o mesmo…
Tia: Pois digo. Ainda não vi melhoria nenhuma. Não tens mesmo pretendente nenhum? Até deves ter e dás-lhe pontapés… Não pode ser assim… As tuas amigas estão todas casadas e tu não. Tens de te casar também. Não podes ficar para trás!
Calíope: Mas és tu quem está preocupada com isso, eu não.
Tia: Mas tens de estar, pois os anos passam e eu também quero um netinho…
Calíope: E porque não tens esta conversa com o teu filho?
Tia: Ele é muito novo. Ainda está a estudar. Mas olha a próxima vez que vieres cá tens de trazer alguém para nos apresentar. E não te preocupes que eu também só me casei com 37. Há-de aparecer alguém de certeza...



daqui



Como é possível explicar a pessoas destas que eu não tenho aspirações a dona-de-casa?

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Casi en directo de Madrid...


Termino mis emocionatísimos 30 años a hablar así.

Me transformé así en un mutante que se puede describir como un “Vasco Lourinho encuentra Paulo Bento”. Estuve dos dias intensivos a hablar castellano y ahora tengo ese acento com esa musicalidade muy propia de nuestros hermanos.

Podria acabar mis 30 años más contenta? No, creo que no.

Bueno… pues que me gustaria de volver a hablar portugués y aleman sin esa guapísima musicalidad…

Em cima do salto XIV

Aquela minha suspeita do outro dia (estou a tornar-me adulta) começa a tornar-se perigosamente real.

Entre a perspectiva de um bom amigo e de um amante sofrível em potência, parece-me que estou a tender para o primeiro.

Elena Feliciano, Forget Me Not Stiletto


Será isto a sensatez? Se sim, não tenho a certeza se quero mais... Mas para já não estou disposta a estragar tudo por um pedaço de carne!

domingo, 25 de outubro de 2009

Terminal de chegadas

A vida vale a pena ser vivida porque ela troca-nos sempre as voltas todas, imprimindo o factor surpresa quando a gente menos espera. Tanto há fome como chega fartura, meio termo é que parece escassear. As contas da minha vida hoje estão mais complicadas do que ontem, quando por alguma razão achei que tinha a solução para a fome, vendo um meio termo plausível no fim do túnel. O meio termo hoje transformou-se numa fracção de segundos em fartura...

daqui


Se pudesse prever a minha vida, não seria nada assim, mas possivelmente não teria metade da piada.

Vamos lá ver o que é que amanhã me reserva e o que de lá virá. Para já, chegou-me uma horita extra de sono!

sábado, 24 de outubro de 2009

Electrizada


Estou radiante da vida. Estou eléctrica e surpreendam-se desconfio que possa estar mais adulta... mas deve ser impressão minha! Só lá para os 40 é que devo tornar-me uma pessoa razoável, até lá acho que vou viver no meu mundinho egocentricamente fabuloso.

daqui

A ver se me acalmo um bocado depois de 4 horas de compras ultra-necessárias. Para tal pus-me a escrever fichas sobre preposições para a criançada. Plano B: Estudar música erudita. Plano C: Fazer uma pregas a um vestido.

Aaaiiii daqui a 3 diazinhos faço anoooossss! :D Estou mesmo contente!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

A festa


Para a semana faço anos e ao contrário de todas as minhas previsões ainda não é este ano que vou conseguir NÃO fazer uma festa de anos. Andei aí toda macambúzia, mas agora já tenho sítio reservado, convites (super criativos) enviados, algumas confirmações, menos recusas e cheira-me que há quem ande a fazer colecta para a minha prenda.

Birthday girl



No entanto, não me parece muito normal ter convidado umas 47 pessoas (foram mais umas quantas e menos aqueles tipos que convido todos os anos e nunca apareceram) e ter recebido pouco mais de uma dúzia de respostas. Tudo bem que eu digo que podem responder até dia 27, mas sei lá, podiam despachar-se logo e responder de uma vez.

Já não me aborreço pela falta de respostas, pois já sei do que a casa gasta. Fecham-se em copas e depois aparecem quase todos. (No ano passado foram 36 salvo erro). No entanto, hoje tentei outra abordagem e em conversa com alguns dos convidados, perguntei-lhes se eles iriam ao meu evento do ano. E eles nem hesitaram um 'sim, claro que sim'. E claro que eu tentei perceber a razão da falta da resposta ao que ouvi 'Ah! Mas tínhamos de responder?' Não, meus lindinhos. Não respondam, para eu marcar um espaço para 20, no fim aparecerem-me 40 pessoas e ficarmos assim todos juntinhos a fazer sauna vestidos, claro!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Dúvidas existenciais

Serei sugestionável?




Conversas soltas XXV


bla bla bla comida bla bla bla arroz de marisco bla bla bla


Colega: Epa, se a gente continua assim, daqui a uns anos até nos podíamos casar.

Calíope: An?

Colega: Assim eu podia comer comida boa todos os dias...

Calíope: Ah ok... E qual era a minha vantagem?!

Colega: ahahahhahahah. Como assim? ahahahahahah

Calíope: ahahahahahhaahh. Eu já como comida boa todos os dias.

Colega: Tu és um caso difícil.

Calíope: Tenho dias.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Vou redimir-me... espero!

Como diz uma amiga minha, eu esqueci-me de desligar o meu complicómetro... e ele não pára.
Ando a criar-me problemas, dilemas e grandes dramas quando na verdade... não se passa nada (a não ser na minha cabeça).

Como diz um outro amigo meu, nada está pior do que antes, logo não, tenho nada de que me queixar (mas eu arranjo, claro!)

Estou a tentar salvar-me das minhas próprias ciladas. E eu sou boa a montar artimanhas e a arquitectar planos muito... sui-generis.

Adiante. Estou a tentar ser generosa comigo própria, mas mantendo a rédea firme e não criando expectativas. (Se conseguir isto tudo a seguir concorro para acrobata de circo. Já que não podem ter animais, não poderão menosprezar este talento malabarista)

Para já, vamos lá mudar de musiquinha que descobri aqui e vou concentrar-me em coisas realmente importantes, tipo... daqui a uma semana faço anos!
Queixo erguido e olhar em frente!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Grandes pessegadas!


Apesar daqueles gostos sofisticados, inclinações elitistas e satisfações requintadas que me caracterizam (ahahahahahahha), às vezes (muitas até) há pessegadas que me salvam os dias.

A última que veio ter aos meus ouvidos foi esta. E não há maneira de a ouvir, sem bater ritmadamente o pé no chão e trautear o lindo refrão 'I love to love/ I love the way you love me / We love to love / We love to love eachother/ I love to love / I love the way you love me now' e continua.

Pior não podia ser. Sem poesia, sem criatividade, sem jogo de palavras, sem figuras de estilo: um quase soft porno com muito jeitinho e boa vontade. Mas pronto, canto isto e fico melhor disposta! (Podia dar-me para pior!)
Deliciem-se com os amigos PM Sampson e Double Key!


Se todos temos uma costela pirosa, eu devo ter um ouvido!

domingo, 18 de outubro de 2009

Desconhecido

Face ao marasmo do fim-de-semana (tirando os belos saltos do meu novo par de botas e o Third Man servido de sobremesa a um simpático caril), adio para outro post os meus pensamentos em trânsito e brindo-vos com um dos meus quadros preferidos de todos os tempos.


Autor desconhecido, O Inferno (Museu de Arte Antiga)



Já o é há mais de 14 anos desde a primeira vez que lhe pus os olhos em cima.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Relação tóxica




Sinceramente, não sei se corrói mais estar disponível e esperar por Godot ou então correr atrás do vento.


Eu já joguei dos dois lados, mas melhor pensado seria mesmo sair de campo.

Só pode ser!

1º dia de aulas nevado
Semestre abençoado?

Será que eu sei ler os sinais da Natureza?

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Rescaldo

Vingativos, nós?!! Não, claro que não...
Mas no seguimento do relato e comentário/análise do jogo Portugal-Malta, começaram as opiniões dos ouvintes... Os senhores ouvintes querem a Grécia ou a França no play-off (Deus nos livre e guarde!) porque simplesmente ''temos contas a acertar''. (Gostava de saber a que esquina destes campeonatos é que a Inglaterra e a Holanda esperam-nos encontrar para nos darem a lição de uma vida).

Ah e claro está! Afinal o amigo Carlos Queiroz é um grande seleccionador!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Vira o disco e toca (quase) o mesmo*!

Ona, Pas-o-2


A música vai sendo boa e eu tento afinar os meus dotes de toureira. O meu jogo de capa e espada na mão nunca viu melhores dias, mas possivelmente ainda está muito longe de me fazer saltar para a arena.


* Eis a bandarilha!

Sistema tributário

É grandioso pensar que é bom pagar impostos porque é com esse dinheiro que se paga a qualidade de vida em que vivemos (mais coisa menos coisa)...


Os impostos já não me infernizam como outrora, apesar de pagar quantias cada vez mais astronómicas. Queixava-me, aborrecia-me, reclamava e queixava-me ainda mais. Mas cada vez que tenho de os pagar, nem me lembro da dita qualidade de vida e só vejo é o rombo que a minha continha sofre. (Agora estou no processo de pagar e pronto e não pensar mais nisso).

Hoje chegou correspondência das Finanças e apesar dos milhões que lhes estou a dever, achei que a conta estava mal feita e que eu devia ainda mais milhões... Era uma gralha a meu ver perceptível e explicável dentro do género. Viram um 9 mas escreveram-me na conta um 6.

Certinha como sou, toca de contactar o meu contabilista a confimar que alguém se tinha enganado e que na verdade tinha de pagar mais 300€ do que vinha na simpática conta.

Resposta do meu paciente contabilista: "A senhora na parcela passada devia ter pago *4** e pagou *7**". Impossível, pensei eu. Eu queixo-me tanto do volume de impostos que não ia pagar mais 300€ por livre e espontânea vontade e pior, não dar por ela... Fui ao meu extracto bancário e não é que foi mesmo o que fiz... pus um 7 em vez de um 4 e devo ter ficado feliz da vida...

Só mesmo à chapada... grande totozona!


Conclusão: Para além de ter uma pessoa para me tratar da carga fiscal, preciso de outra que saiba copiar os números da conta para o vale do banco, que pelos vistos eu não sou capaz de o fazer sozinha.

Boletim metereológico


A vantagem de terem caído cerca de 20ºC da semana passada para hoje é que pude finalmente inaugurar hoje a época do chapéu. E pronto, lá vou eu facilitar a uma série de pessoas que me identificam como 'a menina do chapéu'.

(Vou ignorar as temperaturas estivais que vão em Portugal e as rajadas de 80km/h por aqui.)

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Aulas de língua estrangeira

As aulas de Português Língua Estrangeira salvaram a minha carreira de professora.



Se não tivesse começado a dar cursos a pessoas adultas, que se inscrevem no curso porque querem aprender, que já chegam motivadas, que são interessadas e que no caso de perderem o interesse deixam de aparecer, já teria atirado a minha toalha ao chão há muito tempo... ou melhor, não a teria ido buscar ao solo, onde ela estava.



Se eu fosse uma pessoa sensata, já teria desistido das aulas pois pagam-me mal, estorvam-me duas noites por semana e poderia aproveitar o tempo para fazer outras coisas mais úteis. Mas como eu sou uma pessoa sensata, adoro o que faço e faço com gosto... melhor ainda, nem parece que estou a trabalhar. Conto histórias sobre a gramática portuguesa, disfarçada de conversa e obrigo toda a gente a falar português, rimo-nos todos, eles queixam-se, mas falam... eu gozo, explico, rio, corrijo e eles têm de repetir! Improvisam, dizem coisas fantásticas, aprendem e surpreendem-me. Confesso que raramente me apetece muito ir para a escolinha, especialmente agora que já está escuro, que começa a estar frio e chuva e essas coisas boas de Inverno. Mas não dou pelo tempo a passar e fico sempre radiante no fim, por ter ido e ter passado ali hora e meia bem passada. E eu ainda sou paga por isso.


Vinha aqui contar (mais) uma história do arco da velha da faculdade, mas consegui relativizar e contar as minhas impressões das aulas das escolinhas. As histórias cabeludas virão em breve, cá me quer parecer!

domingo, 11 de outubro de 2009

Só à chapada!

Alguém que me faça o favor de me dar dois tabefes quando, no próximo semestre, eu tiver a magnífica ideia de criar progamas completamente diferentes e novos e interessantes e actuais e significativos para a formação da criançada... em vez de pegar no material de semestres passados e debitar matéria e ganhar exactamente o mesmo no fim do mês.



daqui

A sério, sejam impiedosos!



A brilhante ideia de falarmos sobre política na aula de Comunicação Oral está a obrigar-me a tirar um curso de Ciências Políticas em dias/semanas... portanto a vidinha interessante e tal que eu gostaria de ter vai ter de ficar adiada por mais uns tempos. Ah! E a criançada está tãããooo animada com a perspectiva que já houve uma alminha caridosa que se inscreveu na aula... sim UMA alminha INTEIRA!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

This sounds familiar...

Acho que ouvi isto há pouco tempo.

Embora eu suspeite sempre quando alguém me diz: “Bem-vindo, nós aqui somos uma grande família.” Fico logo de pé atrás, porque conheço demasiado bem a minha família e não quero ir para outra.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Botas!



Consegui fazer a proeza de comprar hoje umas galochas (com bolas verdes) que combinam com os meus tupperwares, a minha agenda e algumas das minhas almofadas da sala!

A probabilidade de levar tudo ao mesmo tempo é mínima, mas não interessa! Tenho é umas galochas novas!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

If you can't stand me, you should see my mother!


A minha mãe viu a sua equipa de trabalho reforçada com um indivíduo que está a cumprir serviço cívico. Em vez de estar a coçar a micose numa qualquer cela da vida, foi para debaixo do jugo da minha mãe.

Chidi Okoye, Dearest



Esta conversa é baseada em factos reais. Não foi assim, mas não deve ter sido muito longe disto.

Mãe: Então o senhor foi preso porquê?
Indivíduo: Cof! Cof!
Mãe: Se ainda tinha de cumprir mais cinco anos, deve ter feito algo de grave...
Indivíduo: Não, não...
Mãe: Traficava ou consumia também?
Indíviduo: Traficava, mas era para ajudar o... (música melodramática)
Mãe: Bom, está bem. Já sabe que aqui vai ter de trabalhar. E eu não estou aqui para brincadeiras.
Indivíduo: Sim, sim.
Mãe: Eu sou uma pessoa conservadora e tradicional e sabe que mais? Esses seus brincos estão a incomodar-me!
Indivíduo: Quer que os tire?
Mãe: Não, agora não, pois não tem onde os guardar.
Indivíduo: Eu não os trago amanhã.
Mãe: E já agora, veja lá se deixa crescer esse cabelo, para lhe dar um jeito qualquer. Assim à escovinha não há-de ir a lado nenhum! E agora vá tratar de organizar as fichas que lhe dei!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Regresso às aulas!


Eu não estudei Zoologia, abominava Biologia e consegui fazer a proeza de ingressar num meio cheio de bichos... hmm... aves-raras, que eu até sou diplomata!

Já lá vão três anos e tenho sobrevivido a venenos e estrangulamentos. As minhas matizes camaleónicas nem sempre têm jogado a meu favor, mas o certo é que continuo a inspirar a criançada para voos mais altos.

sábado, 3 de outubro de 2009

Desígnios oníricos

Sonhei hoje que o tipo com quem saí ontem me estava a mostrar uns magníficos brincos em esmeralda lá em casa....
Se calhar devia dar-lhe a dica, não?




Grande Outubro!


Este post peca por dois dias...
Mas cá está ele outra vez.
Bem-vindo sejas, querido Outubro!
Estou muito contente de te ver novamente!