quinta-feira, 31 de maio de 2007

Bem bom!

Há algo melhor do que a sensação de ter ultrapassado, pela própria mão, um obstáculo que se consubstanciou no nosso caminho?

A criação de bons precedentes consola momentos menos bons e encoraja futuros passos. Ultrapassar obstáculos vicia no sentido não deixar que nos abatamos por qualquer pedrita no sapato. O cérebro já sabe que chega lá, só precisa o seu tempo :)

terça-feira, 29 de maio de 2007

Paleolítico

Estive desde domingo de noite sem internet.
Antes fosse o micro-ondas ou a televisão... o drama colocou-se: O que é que eu posso fazer sem internet?

- Não posso ver o mail
- Não posso fazer pesquisas
- Não posso ir ao MNS
- Não posso corrigir os tpcs da criançada
- Não posso ler o jornal
- Não posso escrever no blogue

Resumindo foram horas de desespero entre o clique de botões desconhecidos e o ligar e desligar cabos... mas CONSEGUI!!!! e sem ajuda do homem da telekabel

Fica no ar: o que é que as pessoas faziam antes de ter internet?

quarta-feira, 23 de maio de 2007

As três graças

The Three 2006

Isto até pode ser o resultado de um qualquer delírio de uma alma desassosegada, mas hoje cheguei à seguinte conclusão: há bocados de nós que vivem em outras pessoas. Nessa medida, como ninguém quer ser aleijado por livre e espontânea vontade é importante que essas pessoas se mantenham por perto, caso contrário causar-nos-iam uma grande lesão, quiçá irreversível.

domingo, 20 de maio de 2007

Resumo dos últimos dias


- Dias madrugadores
- Noites longas
- Um dedo de conversa
- Poucas horas de sono
- Muito chão caminhado
- Dois dedos de conversa
- Cozinha tradicional questionável
- Bebidinhas fixes para aconchegar o estômago
- Três dedos de conversa
- Uma partida de cartas
- Uma sauninha para relaxar
- Quatro dedos de conversa
- Comunidade internacional
- Corte & costura
- Conversas de mão cheia
- E doses inacreditáveis de riso :)

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Post atrasado

O excesso de trabalho e de borga impediram-me de dar um mergulhito rápido nos últimos dias... e possivelmente nos próximos também será complicado, por isso ficam estes pensamentos no ar.

Uma vida sem amigos é completamente inútil.

A passagem dos anos faz a triagem entre o trigo e o joio: enobrece o que é bom e apodrece o que é mau.

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Divisão de tarefas

Ando soterrada em trabalho, daí não poder vir picar o ponto tão frequentemente. Mas aproveito para partilhar convosco um pouco do meu fardo. Foi assim que começou o Romantismo em Portugal: [obviamente que não me refiro a esta senhora... ;)]

SAUDADE! gôsto amargo de infelizes,
Delicioso pungir de acerbo espinho,
Que me estás repassando o íntimo peito
Com dor, que os seios d'alma dilacera,
- Mas dor que tem prazeres; - Saudade!
Mysterios numen, que aviventas
Corações, que estalárão, e gottejão
Não ja sangue de vida, mas delgado
Soro de estanques lagrimas; - Saudade!

[só mais um bocadinho]

Mavioso nome, que tam meigo soas
Nos lusitanos labios, não sabido
Das orgulhosas bocas dos Sycambros,
Das alheiras terras; - Oh Saudade!
Magico numen, que transportas a alma
Do amigo ausente ao solitário amigo,
Do vago amante á amada inconsolavel,
E até do triste do infeliz proscripto.
- Dos entes o misserrimo na terra -
Ao regaço da patria em sonhos levas,
- Sonhos que são mais doces do que amargo,
Cruel é o despertar; - Celeste numen (...)


[As criancinhas vão delirar amanhã com esta bela introdução a Garrett e ao Romantismo luso.]

domingo, 6 de maio de 2007

Só mais uma piscina

Eu sou aquela que gosta de água em geral e de água (muito) quente em particular. Nessa medida não é de estranhar que um dos meus hobbies seja armar-me em foquita e meter-me dentro de água a fingir que nado. Já desde Outubro qe ando neste fingimento :) e começo a desconfiar que seja a nadadora mais popular entre os nadadores-salvadores. A abordagem do de hoje foi engraçadíssima e ainda ganhei uns óculos super giros e a combinar com os meus acessórios todos e ainda me mostrou a outra piscina para o pessoal que quer nadar a sério. Eu já não quis sair de lá. E depois de ter dito umas dez vezes 'Só mais uma piscina...' é que consegui arrastar-me para o chuveiro!


Nixen (Silberfische)
Este Klimt também estava na esposição de ontem.

Hoje houve festa na cidade

Parade, Félicien Rops

Para mim a festa traduziu-se na visita de 4 exposições de índole totalmente diversa: comecei por uma exposição de arte gráfica na Loos Haus, segui para o museu dos globos, cuja existência desconhecia totalmente. Depois do almoço foi ver "Eros na Arte" ou coisa que o valha e a visita terminou mesmo com a senhora do museu do Esperanto (outra novidade) a dizer que já eram horas do museu fechar. Eu não fazia ideia que havia métodos didácticos para crianças para ensinar Esperanto... e giros!

Reflexões de sexta

A maneira como nos sentamos num sofá pode ser bastante reveladora de quem somos e da relação que temos com as outras pessoas que se encontram nesse mesmo espaço. Digam-me como se sentam, dir-vos-ei quem são!

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Mestre de obras


Uma vez que sou eu quem usa as calças cá em casa... também fui eu quem teve de arranjar o autoclismo. Um combate equilibrado que durou mais de uma semna. Mas hoje parece ter sido o assalto final. E a vencedora é CALÍOPE por KO do autoclismo! E funciona ainda melhor do que antes!
Começo a perceber porque é que a fauna masculina se sente intimidada com a minha presença... mas meus sehores, eu não consigo abrir frascos e algumas garrafas sozinha (as de sumo)! Motivem-se!

terça-feira, 1 de maio de 2007

Disfrutar do sol


Apesar dos países do centro e do norte da Europa terem muito menos horas solares do que os do sul, parece-me que esta gente branquela, pálida e descolorada sabe usufruir do pouco sol que tem muito melhor do que nós 'sulistas de países soalheiros'. É ver todos os cafés por mais pequenos que sejam transformarem duas cadeiras e uma mesa numa esplanada. Mas agora a minha última experiência tem sido ir sentar-me para o espaço público e pôr-me a ler qualquer coisa... sem parecer uma sem-abrigo que não tem onde ficar. Seja jardim, seja esplanada, seja banco em espaço público, ninguém estranha... na verdade o difícil é arranjar um lugar pois com raios de sol ninguém fica em casa... mesmo que só estejam 15ºC como hoje.