sábado, 28 de abril de 2007

Agarrem-me...

O vírus malígno mas satisfatório das compras voltou a apoderar-se de mim... Não, não estamos em épocas de saldos, caros leitores, mas quando há lojas que vendem tudo ao desbarato porque vão fechar... ai!
Sem querer quis ir espairecer um bocadinho e voltei para casa com uma mala-num-azul-que-eu-adoro-e-que-é-super-espaçosa-e-cabem-os-meus-livros-e-tudo, um casaco de pele-que-é-óptimo-para-a-meia-estação e ainda duas écharpes (uma-preta-que-eu-precisava-mesmo-para-um-fato-mais-selecto e outra-que-só-comprei-porque-quando-ia-pagar-reparei-que-havia-um-outro-que-combina-com-um-dos-meus-chapéus)... Pior! Hoje voltei à loja para ir buscar outro casaco-de-pele-em-que-fiquei-a-pensar-desde-ontem-e-que-pelo-preço-valia-mesmo-a-pena e pelo caminho ainda consegui uma mochila-muito-gira-e-super-prática-que-até-era-uma-coisa-que-me-faz-falta.
Uff! Amanhã é domingo e as lojas todas estão fechadas.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Horóscopo

Este é uma parte do meu horóscopo para o mês que vem. Eu resolvi ampliar-lhe a validade temporal e aplicá-lo nos próximos 20 anos (com hipóteses de prolongamento de prazo).


Não fique com os olhos colados ao retrovisor. Certas páginas da vida, especialmente da afectiva, fizeram-se para serem voltadas para sempre. Relê-las é pura perda de tempo.

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Caminhos tortuosos

Eu acho que os mesmos caminhos tortuosos serão percorridos outras tantas vezes até que consigamos afagar o chão, deixar assentar a poeira e arrumar as pedras do respectivo caminho. (De repente até podem servir para compor um bonito mosaico.) Enquanto insistirmos em arrastar os pés, chutar as pedras e dar passos furiosos (ou de auto-comiseração) só conseguimos formar mais oscilações no terreno, afastar as pedras apenas para mais longe, mas não as retirando do nosso percurso e levantar ainda mais poeira.

Caminhos são caminhos e não destinos... todos nos querem transmitir qualquer coisa e enquanto não o aprendermos eles não nos largam.

domingo, 22 de abril de 2007

Rescaldo do fim-de-semana

- É no mínimo curioso reparar que a idade de 18-20 anos anos me tem sido muito frequentemente atribuída... nos últimos 16!

- É enriquecedor e estimulante aprender com quem sabe o que faz, fá-lo bem e ainda com gosto!

- É gratificante confirmar primeiras impressões, por mais longínquas que elas se situem temporalmente.

- É preocupante ocupar espaços vazios com lixo mental.

- É auto-flagelante ir buscar ao baú das memórias pensamentos que só nos torturam e que pouco nos adiantam para progredir com a nossa vida.

- É reconfortante olhar para uma imensa extensão volumétrica de água ondulante que reflecte raios quentes de sol.

- É bom estar de volta.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Falar à boca cheia

Já desconfiava há algum tempo que quem fala muito e com muitas certezas tende a não saber tanto como quer parecer crer. O mundo é grande demais para se falar de forma geral... sem o devido conhecimento de causa.

Há uns anos aterrei numa palestra sobre Camões e o Dia de Portugal a propósito do 10 de Junho, onde o orador, um respeitável octagenário com obra publicada na praça, enchia a boca para dizer, com o dramatismo inerente, que "só em Portugal se dedica o dia das comemorações nacionais a uma figura literária e não a uma qualquer, mas sim ao maior poeta que cantou e imortalizou a nação lusa ao contrário de outros que festejam dias de batalhas, guerras ou tratados... Nós não. Nós somos diferentes. Nós somos sensíveis à arte e letras...".

Na altura estas palavras impressionaram-me o suficiente para não me esquecer delas.
Hoje casualmente descobri que a Catalunha festeja o seu santo padroeiro, Sant Jordi, no dia 23 de Abril, que não não é mais do que o dia da morte de não um, mas dois grandes nomes das letras mundiais: Cervantes e Shakespeare.

domingo, 15 de abril de 2007

Midsummer's Night Dream

A Carochinha pôs-se à janela, a Cinderela perdeu o sapatinho de cristal e o Capunhinho Vermelho deu trela ao lobo.
Se eu tivesse direito a um conto de fadas ou a uma comédia shakespeariana, os pontos altos da minha história só poderiam ter Havana, Kenny G, 7 minutos e 21 segundos paulatina e calidamente intensos, sensualmente arrebatadores e vigorosamente reconfortantes.

Lamento IMENSO só ter encontrado esta versão mixada que fica muitíssimo aquém do original.

sábado, 14 de abril de 2007

Boletim metereológico



Uns raios de sol e uns graus a mais são suficientes para dar uma roupagem melhorada à realidade em geral e ao nosso mundinho em particular. Bem-vindo sejas aquecimento global! :) Sente-te como se estivesses em casa!

Meados de Abril, algures no coração da Europa, iluminados e torrados 28ºC.

Esta podia ser a vista do meu quarto se houvesse um prédio no fundo a cortar a linha do horizonte e passarinhos a cantar.

quarta-feira, 11 de abril de 2007

De volta ao jogo


Às vezes o que parece óbvio não o é...
Uma bola atirada para canto pode ser frequentemente um mal menor, mas a experiência diz que um lance de bola parada pode ser muito mais perigoso que um de bola corrida. Há especialistas na matéria e até aqueles que são capazes de marcar um canto tão bem marcado que ele só pára no fundo da baliza.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

Atirada para um canto


Aquiles foi para Tróia não por admiração por Agamemnon nem por ódio a Príamo e respectiva descendência, mas apenas para garantir que o seu nome não cairia na poeira do esquecimento.

Quem não tem uma guerra de 10 anos a avizinhar-se no seu horizonte o que poderá fazer concretamente para não entrar no asilo da falta de memória ou ser embrenhado em teias olvidadas e isto obviamente sem ter qualquer perspectiva eterna.

sábado, 7 de abril de 2007

A propósito de Páscoa



Quem não tem cão
caça com gato...
E quem não desencantou um gato
que tire um coelho da cartola!



Aparentemente o Mergulhos voltou a funcionar, mas é melhor não falar muito alto.

domingo, 1 de abril de 2007

Ponto alto


"Quem mais cedo morre, mais tempo está morto" um filme de produção alemã, possivelmente com um orçamento curto, pois as diversas personagens tinham no máximo duas mudas de roupa. Mesmo assim, uma comédia deliciosamente crítica, imprevisível e capaz de fazer saltitar na cabeça de pensamentos interessantes. Um dos pontos altos do fim-de-semana.